Terça-feira, 19 de Janeiro de 2010

Em louvor da mulher

Aquilo que de bom, suave, terno e doce, me anima para viver, aprendi-o com as mulheres.

Primeiro, a minha mãe que me ensinou o dever de solidariedade, mostrando-o com o seu exemplo e ajuda aos mais desprezados.

Com ela aprendi que, no mundo, existiam outros seres que, por ignorância, não sabiam aproveitar da Terra, tudo quanto ela oferece abundantemente.

Nunca, minha mãe, me impediu de brincar com os mais desfavorecidos dos desfavorecidos. Isso ensinou-me a partilhar com o outro aquilo que eu possuía.

Depois vieram todas as outras mulheres. Foram muitas, todas deliciosas e carinhosas. Nenhuma perdeu o sabor dos afectos e todas me ensinaram os segredos da vida.

Só a mulher é possuidora do segredo que encanta a vida, a prolonga e a torna suportável.

Foi a mulher que me fez descobrir e cantar, nos seus braços, o amor, os desejos e os prazeres.

Foi com a mulher que aprendi a sonhar o amanhã da esperança.

É a mulher que me mantém vivo, na vontade permanente de transformar o mundo no lugar idílico onde o prazer, o trabalho e a alegria sejam permanentes.

Para ti, mulher, as bênçãos e o agradecimento de quem não aprecia a vida pelos seus contrastes negativos, mas te louva no amor, na delicadeza e na paciência que revelas  para com este ser inacabado, que é o homem.

C.S

publicado por regalias às 09:57
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 12 de Janeiro de 2010

Magalhães e Isabel Alçada

Será que a demagogia vale tanto como o desperdício?

Quando o Governo não sabe o que fazer entra no disparate, na entrega de tudo quanto lhe pedem e mesmo na dádiva daquilo que ninguém lhe solicitou só para encontrar tempo e soluções para algo que cada vez está mais insolucionável que é a governação ponderada e consciente de Portugal.

Este Primeiro-Ministro, em quem eu tinha depositado muitas esperanças, está a proceder com bastante imaturidade. Faz provocações completamente despropositadas, agenda assuntos que dividem os portugueses e deixou de ser o Sócrates inteligente, saudável e voluntarioso que o País precisa para sair da gravíssima crise em que está mergulhado.

Ao anunciar a entrega de mais cem mil computadores Magalhães, vai colocar Isabel Alçada num beco de difícil saída.

O Magalhães e todas as novas técnicas entregues aos alunos são de saudar. Já o fiz, louvei e defendi. O problema é que a entrega do computador não é acompanhada do respectivo ensino. Os jovens alunos ficam com o brinquedo nas mãos e ninguém os adestra a trabalhar com um instrumento valiosíssimo e que os poderia ajudar a alcançar, rapidamente, a Europa rica e evoluída.

O que acontece é que mais de setenta por cento das escolas não aproveita o computador e a grande maioria dos pais não é capaz de trabalhar com tão sofisticado, quanto simples aparelho, para quem tenha os mínimos conhecimentos de informática.

Isabel Alçada, se quiser dar uma ajuda ao impulsivo Primeiro-Ministro, terá de arranjar maneira de colocar os Magalhães em funcionamento prático e rentável.

Pela minha parte salvei um computador de ir para o lixo enviando-o para reparação na Sá Couto, que foram eficientes e rápidos. A seguir ensinei a mãe da criança a trabalhar com o Computador e a Zoraida, de sete anos é hoje uma menina feliz.

É muito simples pôr as dezenas de milhar de computadores a funcionar. Agora entregá-los a quem não sabe e não se lhe ensina a trabalhar com eles é o mesmo que entregar a um miúdo uma cana de pesca sem anzol e ficar à espera que o peixe se enrole na linha.

C.S

publicado por regalias às 09:26
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 11 de Janeiro de 2010

As bichas rabichas

 

Depois da festa e do champanhe vem, finalmente, a realidade.

A bactéria humana só depois de errar cai na real.

Expostas e expostos aos predadores que aceitam e lhes dão gozo ficam vulneráveis aos fundamentalistas agressivos, que são largos milhões, e que teimam em preservar a vida deixando descendência, vivendo, ao mesmo tempo, os seus segredos, as suas taras e os seus traumas sem que a assembleia pública e fingidamente pudica, mas consciente dos perigos rejeita.

Para circularem pelo mundo as bichas rabichas ficam limitadas a oito países e perdem todos os seus direitos nos outros cento e oitenta e sete.

Ao obterem passaporte com a chancela de casados ou casadas, as bactérias rabichas serão levadas directamente para um estádio e lapidadas perante o gáudio da multidão.

O menos que lhes poderá suceder é levarem, também em público, 120 valentes chicotadas no lombo e nas partes fracas, dianteiras e traseiras, e despejados como lixo radiativo para fora dos países muçulmanos e de alguns africanos.

Grande vitória das bactérias rabichas! Grande alegria! Grande estupidez! Enorme teimosia!

C.S

publicado por regalias às 08:54
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010

Casamento de fufas e pederastas

A Natureza ao avivar a força reprodutiva e dar-lhe impulsos, por vezes incontroláveis, assegurou a sua própria sobrevivência.

Acredito que nós não passamos de bactérias falantes e tontas que a Natureza quando lhe apetece apaga e esquece.

Os terramotos, os maremotos e os tsunamis não passam de vassouradas de limpeza quando a putrefacção atinge o coração da Natureza e ela é forçada a espirrar.

Ao criar o ser humano na evolução da bactéria inicial, no conjunto dos seres animados, o Universo arranjou os trabalhadores ideais para evitar o caos inicial. 

O "crescei e multiplicai-vos" é o reflexo da inteligência sobre os seres não animados, mas necessário a todo o sistema.

Os Governos ao legislarem sobre o casamento de fufas e de pederastas são a negação da sobrevivência humana, nunca a negação de um direito de cada um fazer o que quiser do corpo sem que para isso tenha de fazer a publicidade da tendência pedrástica ou fufal. Se assim fosse, o crescei e multiplicai-vos seria completado da seguinte forma: crescei e multiplicai-vos no esgoto do intestino grosso e na sua foz anal. 

O semanário "Sol" em 2 de Junho de 2007, na revista "Tabu", nº38, traz uma entrevista com Carlos Castro que em destaque diz "FIZ A RECRUTA EM NOVA LISBOA. FOI UMA ÉPOCA FANTÁSTICA. OS OUTROS HOMENS TINHAM POR MIM UMA ADORAÇÃO ENORME." Depois, no corpo da notícia, acrescentava. "Tornei-me a mascote da bateria e, como não havia mulheres, houve homens que ficaram doidos por mim".

Escuso-me a comentar a entrevista que, segundo sei, fez perder centenas de leitores ao "Sol" nascente. Mas a ilação que dela pretendo tirar é a seguinte: em momentos de guerra prolongada, situações como esta são comuns e nem por isso os homens deixam ser menos homens e se tornam maricas. São situações passageiras que passam, mal se encontrem nos braços da mulher amada ou de escape.

Em Moçambique, uma companhia servia-se de um indivíduo para acalmar as pulsões que a Natureza imprime com violência nos corpos para, como já afirmei, assegurar a sobrevivência.

O Diploma que o Governo leva ao Parlamento é incoerente e achincalhante. José Sócrates coloca de joelhos todos os deputados que o votarem afirmativamente. Não me admiraria que acabassem todos aos beijos na boca e a dar palmadinhas no rabo.

Mário Soares, que diz que Sócrates o trata como um pai, deve morrer de vergonha e devia dizê-lo. Não foi ele que há meses afastou um vagabundo qualquer, quando ele lhe ferrou uns beijos, e disse, alto e bom som: "pare lá com isso! Um homem não se beija"!

Sócrates, por pirraça ao "papá" que rejeita ou por chantagem vai ficar na história com um ferrete desagradável.

Sócrates é bem mais inteligente e merecia outro fim. Façamos votos que ele, à última da hora, seja capaz de dar a volta a tão triste e repugnante situação.

C.S

publicado por regalias às 08:53
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010

Os invertidos profissionais

Quando o Portas transgénico foi à Rússia, acasalado numa deputação do Parlamento Europeu, para defender as posições dos maricas, só lá não deixou os ossos por uma unha negra. Ficou-lhe de emenda e jurou não voltar à terra dos Homens que preservam a amizade e o carinho, mas desprezam os pusilânimes, os videirinhos e os invertidos.

A noção de família na Rússia é muito forte. A palavra СЕМЬЯ com o significado de família vem de outra com a mesma raiz, СЕМЯ, e que significa semente.

A família é a única semente da vida. Só ela garante a continuidade do ser humano à face da Terra.

Os invertidos profissionais, também apelidados de gays ou paneleiros, com estatuto legal, são a paragem da vida. São a morte, a Sida, a contaminação através das fezes e o colapso da inteligência.

Legalizar a união destes infelizes é multiplicar a ideia do aborto humano, sem esperança e com fim à vista.

Democracia não pode ser sinónimo de porcaria e de destruição. Democracia, além de todos os adjectivos que a enfeitam é fundamentalmente a erradicação da miséria e a partilha de bens e conhecimentos pelos mais necessitados.

José Sócrates que tentou e fez um trabalho válido no campo social e no apoio escolar quer, com uma teimosia inexplicável, ou só explicável por chantagem, impor uma medida que a grande maioria do Povo Português rejeita e com isso deitar abaixo tudo quanto fez?

José Sócrates não é, nem precisa de ser o James McGreevey, governador de Nova Jérsia, que perdeu o cargo e a mulher, precisamente uma portuguesa, Dina Matos, que o abandonou quando ele assumiu a sua pederastia.

Homossexual é muito diferente de ser gay. Homossexual é um acidente de percurso que passa como as bebedeiras ocasionais. Se Sócrates não percebe isto e quer arrastar, obstinadamente, Governo e Deputados para o abismo tenho de o lamentar profundamente.

É mais uma desilusão que levo deste mundo.

C.S

 

publicado por regalias às 09:33
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 5 de Janeiro de 2010

Alhaji Umaru Mutallab e "Crescer em família"

Alhaji ao denunciar o próprio filho, Umar Abdulmutallad, o bombista falhado, mostra ao que um pai pode chegar para evitar um mal maior ao seu descendente,

Alhaji faria o mesmo se fosse pederasta, vivesse com outro invertido, e tivesse adoptado este jovem influenciável a doutrinas extremistas em louvor a um deus sedento de sangue, martírio e ignorância?

Duvido que Mutallab o fizesse. Tentaria descartar-se do pateta e deixá-lo morrer como bem entendesse sem lhe interromper as orgias do chupa-chupa.

Em Portugal além dos bichas a chantagear a Comunicação Social há duas fufas que, em hipótese remota, mas possível, podem gerar uma cria, segundo cientistas japoneses, tal como vem descrito na revista "Crescer em família", nº 123 de Agosto de 2004.

A revista acrescenta. "Nada garante que os filhotes nasçam realmente saudáveis e normais. O método utilizado pelos cientistas designa-se por partenogénese...Abelhas, formigas, certos peixes e aves reproduzem-se desta forma...

Será que o Primeiro-Ministro é homem tão avançado no tempo e nos complexos que há falta de portugueses com coleones vai adoptar a partenogénese para povoar o País e encher as aldeias turísticas que até ao momento tem estado às moscas?

José Sócrates é capaz de tudo a bem da Pátria e dos traumas.

C.S

publicado por regalias às 08:58
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

14
15
16
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. João Soares preferia a de...

. Bush, Obama e outros imbe...

. Democracia desculpa corru...

. Trampadisenteria contra o...

. Antena1, Línguas, Ensino ...

. União Europeia e as sançõ...

. CDS, no futebol dá toques...

. Autoeuropa: pica a cevada...

. Os loucos irresponsáveis ...

. União Europeia condena vi...

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds