Quarta-feira, 25 de Outubro de 2017

Greve dos cangalheiros da medicina

A causa do falhanço da Primeira República, que durou desde 5 Outubro de 1910 até 28 de Maio de 1926, quando foi substituída pela Ditadura Militar de Gomes da Costa, Mendes Cabeçadas e Óscar Carmona, foram as greves.

Em 27 de Abril de 1928, o General Óscar Carmona convida o Professor Oliveira Salazar para a Pasta das Finanças, depois dos Generais se terem mostrado incapazes de Governar o País, quando a Sociedade das Nações quis dirigir Portugal, em regime semelhante ao da TROIKA, formada pela Comissão Europeia, BCE e FMI, em 17 de Maio de 1911.

Os Generais recusaram o vexame e recorreram a Salazar, que garantiu poder salvar o País com muito trabalho, serenidade e honestidade.

Salazar, à Ditadura Militar, opôs uma Ditadura financeira de contenção.

Para Salazar as greves eram o maior crime contra o povo português. Segundo ele, tinham sido as greves as causadoras da fome, das prisões, das mortes e da Primeira República ter colapsado.

Se uma greve é sempre prejudicial para todos, a greve dos médicos e de quem trata de problemas de saúde é ainda mais infame por ser altamente perigosa ao colocar em risco a vida dos doentes.

Quando os médicos se vêm ufanar, na Antena 1, de que estão em greve entre 75 a 80% dos profissionais da inconsciência e do egoísmo, só nos resta esperar que a greve não provoque a mortandade igual à dos últimos fogos, com 114 falecidos; ou à da Legionella, no Concelho de Vila Franca de Xira, que causou 12 mortes e infetou mais de 350 pessoas.

Muitos ainda sofrem de sequelas por recusa de enfermeiros em greve.

Se isto acontecer, os médicos, poderão ter de servir de cangalheiros e também de vítimas dos familiares enfurecidos.

 

Anterior “Coligações humanitárias de democráticos criminosos”

C.S

publicado por regalias às 13:07
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Os jovens têm de saber ti...

. Saber ouvir, saber pensar...

. Exército Europeu para aca...

. O Panteão e os Pantaleões...

. Os bacanais dos Bispos em...

. Um país de pataratas e a ...

. Salvar Portugal: divulgar...

. Aprender naturalmente, se...

. Robots, bem-vindos a Port...

. Os 80% dos médicos que fi...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds