Quarta-feira, 30 de Maio de 2012

Portugal está de rastos. Nem os espiões prestam

Para travar a Reforma Administrativa e a Reforma Judiciária, tão importantes como a reforma dos maus costumes, nada melhor do que levantar casos bombásticos que rebentem com ministros e acabem de vez com Portugal.

Bom espião é o Balsemão que tem dinheiro suficiente na mão para dizer tudo quanto lhe apetece, mesmo que o Silva e os outros Silvas, onde ele estava assinalado, sejam piores do que os da PIDE, sinal evidente que afinal a PIDE não era tão má como os comunistas a pintaram.

Balsemão, com a queda que tem para ganhar dinheiro, viu aqui duas maneiras de chegar a Duque. Primeiro, faz processos a espiões e tenta secar um concorrente. Segundo, vende Portugal a su amigo, el conquistador, Juanito, e Portugal voltará a ser o condado Portucalense com ducado em Cascais.

Voltando à parte séria da desgraça; a partir da chegada do Cunhal e dos restantes estrangeirados, agora muito endinheirados, só o País nunca mais teve sossego nem dinheiro.

O próprio Álvaro Cunhal se vangloria da liquidação dos grupos monopolistas, da expropriação considerável dos latifúndios, da descolonização, da nacionalização da banca, das companhias de seguros, dos sectores básicos da economia nacional (energia eléctrica, petróleos, siderurgia, construção naval, adubos, cimento, vidro plano, tabacos, cervejas, transportes ferroviários, marítimos e terrestres) que modificou radicalmente as estruturas da economia portuguesa.

A confissão, no momento de euforia e loucura, protegida pela ignorância do MFA e do CR, deu como resultado tudo quanto está a acontecer neste momento.

Nenhum Governo teve a coragem de pôr cobro ao descalabro e a Assembleia da República tem fartas culpas em tudo quanto aconteceu a Portugal. Todos são coniventes com os roubos, as destruições do tecido produtivo e a corrupção que grassa em Portugal.

Quando algum Governo tenta travar a estupidez, gritam-lhe com liberdade e democracia! Aí fica ele de mãos atadas. Instintivamente, por sobrevivência, alinha com os comunistas do PC e do BE para que a sua trombeta, a Comunicação Social, não incendeie mais a ignorância, e as greves dos oportunistas, que ganham várias vezes o ordenado mínimo, não paralisem o País.

O auge do Portugal de Quinhentos coincide com o trabalho de dois espiões a sério e sérios: Pêro da Covilhã e Afonso de Paiva.

Portugal, primeiro nos descobrimentos, foi também primeiro em fortuna e inteligência. Hoje é primeiro em bestialidade e indigência.

Portugal está de rastos. Nem os espiões prestam, nem o Primeiro-Ministro dá um murro na mesa e termina com esta pepineirada de imbecis que por tudo e por nada fazem algazarra só para manterem o estatuto e o cacau do produto das suas insistências cacofónicas e catastróficas sobre assuntos que deviam ser resolvidos em gabinetes ou nos tribunais para que não possam acontecer as tragédias de que a Primeira República foi farta e das quais os jornais tiveram muitas das culpas.

Para esta gente, Portugal não lhes interessa. Interessa-lhes as suas próprias barrigas e os seus mesquinhos benefícios.

C.S

publicado por regalias às 06:05
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Incompetência ou falta de...

. Isto não é um mundo de ge...

. Esplendor de Portugal atr...

. Catalunha é mais poderosa...

. No País dos loucos salvem...

. Profissionalismo, a admir...

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds