Segunda-feira, 11 de Novembro de 2013

A Mocidade Portuguesa, o Camões e o complexado

Qual é a Instituição que hoje oferece a pobres e a ricos, a possibilidade de ter todas as modalidades de desporto, totalmente gratuitas?

Alguém é capaz de me apontar uma?

Pois a Mocidade Portuguesa, criada em 1936, quatro anos depois do Dr. Oliveira Salazar ser Presidente do Conselho (Primeiro-ministro), foi instituída para que os jovens mais pobres tivessem as mesmas regalias dos mais ricos.

Tenho de lembrar que a Primeira República tinha deixado Portugal num estado miserável. Não havia trabalho, os pedintes eram aos milhares, não havia estradas asfaltadas, as escolas eram insuficientes e a miséria abrangia quase três milhões de indivíduos, em um pouco menos de seis milhões de habitantes, que eram quantos havia em 1926.

Gomes da Costa fez a Revolução do 28 de Maio, a pedido do povo, dos comerciantes, dos poucos industriais que naquela época existiam e dos intelectuais que compreenderam que a degradação da vida não podia continuar com atentados diários, cadeias a abarrotar de presos, assaltos, mortes. Ninguém estava seguro.

Salazar foi convidado para o Governo, mas não aceitou. Só passados dois anos e vendo que a Ditadura Militar não conseguia resolver as graves carências do País, aceitou ser Ministro das Finanças.

Logo no fim do primeiro ano conseguiu pôr as Finanças em ordem. A partir desse momento, a sua grande preocupação foi dar trabalho e comer a toda a gente.

Na Mocidade Portuguesa estavam incluídos todos os jovens que entravam para a escola entre os 7 e os 14 anos. A grande maioria gostava imenso da Mocidade Portuguesa onde podiam jogar futebol, voleibol, ténis, basquetebol, e ter atletismo, ginástica, hipismo, natação, canoagem, vela, aeromodelismo, topografia etc.

Havia os Acampamentos Nacionais em que jovens de todo o País se reuniam no Norte, centro ou Sul e cada um mostrava, também, as qualidades musicais e teatrais.

A partir de 1939, os jovens das colónias passaram a estar integrados na Mocidade Portuguesa. Todos os anos vinham à metrópole para os Acampamentos Nacionais. Era emocionante a alegria que manifestavam.

Esta pequena resenha vem a propósito de um texto sobre o centenário do Liceu Camões no jornal “Público” de 10 de Novembro, e as mentiras descaradas de um tipo, que até pensava inteligente, e que fala na Mocidade Portuguesa como um ignorante subserviente à esquerda acéfala, quando diz que o “S” significava “servir Salazar”. O “S” só queria significar servir. Era proibido correr no pátio. E acrescenta: “nos corredores do liceu (Camões) respirava-se o mesmo medo que se vivia nas ruas, durante o Estado Novo.”

Só um jovem complexado poderia sentir medo, a grande maioria fazia as maroteiras que todos os jovens naquela idade fazem e nunca se preocupavam com as consequências, porque nem pensavam nelas. Nas ruas só sentiriam medo os cobardes ou aqueles que tivessem prejudicado, gravemente, terceiros. Portugal era um País muito mais livre do que é hoje.

Não andei no Liceu Camões, mas também tive o Dr. Sérvulo Correia, como reitor, no Liceu Nuno Álvares de Castelo Branco. Era um educador. Num destes Blogues, já contei precisamente uma ida ao reitor Sérvulo Correia e, mesmo sabendo que ia ou podia ser castigado, não senti qualquer medo.

A educação tem um preço. A seguir ao 25 de Abril tem ficado muito mais cara e sem quaisquer resultados.  Portugal passou a viver de laxismo, libertinagem e mentira.

O resultado está à vista. O povo é o único que paga muito caro a falta de estudos.

Mas a muitos não lhes interessa que o povo suba, e por isso falam do Estado Novo com o ódio que inunda os infelizes, os frustrados, aqueles que nunca amaram ou souberam o que era a solidariedade e a saudade.

Nota: omito o nome do mentiroso porque não sigo a linha de propaganda comunista da ANTENA1, que desde as 9h até às 19h, às 22h, às 23h, outra coisa não fez que propagandear, nos noticiários, o Campo Pequeno para onde encaminhava os comunas para serem lidados pelo Jerónimo e enganados pelo espantalho vermelho do Cunhal que outra coisa não fez, mal chegou, do que destruir Portugal, semeando a discórdia desde 1974 até se transformar em fantasma sepultado e maldito.

C.S

publicado por regalias às 05:46
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Fascismo sem fascistas e ...

. Cunhal teve ideias premon...

. António Ferro, como era d...

. Deputados palhaços ou Dep...

. Quanto tens, quanto vales

. Incompetência ou falta de...

. Isto não é um mundo de ge...

. Esplendor de Portugal atr...

. Catalunha é mais poderosa...

. No País dos loucos salvem...

.arquivos

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds