Quarta-feira, 27 de Novembro de 2013

Portugal, os rafeiros e a voz do dono

Por alguma razão Portugal foi o único país da Península Ibérica que ficou independente de Castela que absorveu todos os outros reinos.

Quem viaja pela Espanha verifica que o seu povo é muito diferente do português.

Várias vezes se tentou a união de Portugal e Espanha. Em nenhuma deu resultado. Umas vezes eram os reis portugueses que queriam a união, outras, os reis espanhóis, mas nunca deu certo. A maior experiência foi feita entre 1580 e 1640.

Quando morre D. Sebastião, Filipe II de Espanha declara-se herdeiro do trono português por ser filho da rainha Isabel, que era portuguesa, casada com Carlos V, imperador do Sacro Império e rei de Espanha.

Em 1 de Dezembro de 1640, os espanhóis são expulsos de Portugal, depois da ligação durar sessenta anos.

Na Guerra civil espanhola de 1936-1939, Salazar ajuda Franco porque os comunistas espanhóis tinham feito saber que invadiriam Portugal para o anexar a Espanha. Salazar que ainda se confrontava com a miséria da Primeira República vê-se obrigado a repartir o pouco que havia com os espanhóis para não arranjar um problema maior caso os comunistas vencessem. Aqui atrasa o desenvolvimento do País para que a independência não fosse posta em causa.

As diferenças entre Espanhóis e Portugueses são grandes e por isso a união Ibérica não resulta. Bons amigos sim, unidos nunca.

Em 1140 quando D. Afonso Henriques se declara rei de Portugal, a Península Ibérica ainda é ocupada na sua maior parte pelos mouros no centro e Sul. A Norte existiam reinos cristãos (Leão, Castela, Navarra, Aragão). Aquele de que D. Afonso Henriques se separa é o do reino de Leão de que fazia parte a Galiza.

O terreno que torna independente tinha sido um condado, o condado Portucalense, dado aos pais: Henrique de Borgonha (era francês) e a D. Teresa, filha do rei de Leão. O condado era hereditário, mas não era autónomo, tinha de prestar vassalagem (ficava dependente) do dono, o rei de Leão.

D. Afonso Henriques achou que não havia razão para estar dependente de ninguém pois ele é que teria de defender e alargar o território para expulsar os muçulmanos. Revoltou-se, venceu as batalhas contra os familiares que eram reis de Leão e Castela, sacudiu a dependência e mudou a capital do reino de Guimarães para Coimbra, que era então, praticamente, o limite do território.

A partir deste momento D. Afonso Henriques resolve alargar os seus domínios, até para sua segurança, pois pensou que enquanto tivesse os mouros pelas costas nunca poderia estar descansado. Na verdade aquilo que se ganhava num dia, perdia-se no outro. Conquista Santarém, Lisboa Sintra, Almada Palmela, Alcácer do Sal, Serpa Juromenha, Beja, Évora, Moura. Mas para contentar os mouros que estavam nessas populações ele concedia-lhes foral (carta régia que concedia privilégios às pessoas) ao dar-lhes os mesmos direitos que aos cristãos.

Em 1182, D. Afonso Henriques nomeia Julião Pais, chanceler-mor do reino ou seja primeiro-ministro. Sinal que a organização administrativa de Portugal lançou bases tão fortes que Portugal chegou até aos dias de hoje.

Também naquele tempo havia gente que pensava ser melhor Portugal estar ligado à Galiza, D. Afonso Henriques vê-se obrigado a lutar contra a mãe porque ela vivia com o fidalgo Galego Fernão Peres de Trava e isso ia obstar ao espírito independentista do jovem príncipe e de todos os portugueses que o seguiam.

Também hoje os portugueses se confrontam com a canalha que faz greves só por questões ideológicas sem se preocupar com os milhões de euros perdidos e das dificuldades que o resto do povo está a passar. Também eles querem obrigar a que estejamos dependentes de Bruxelas e das suas ordens, embora digam o contrário. Mas os seus atos ou revelam gente reles e inculta ou subservientes a um comunismo estúpido, que já deixou de existir nas nações evoluídas, mas que serve para sustentar Deputados, Comité Central e Sindicatos, que não passam de cães rafeiros que preferem pôr em causa a independência Nacional do que desobedecer à voz do dono.

C.S

publicado por regalias às 05:52
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. No País dos loucos salvem...

. Profissionalismo, a admir...

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

. Portugal, políticos, poli...

. Portugal nas mãos de Cost...

. Cavaco e os pindéricos co...

. Legislativas foram uma de...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds