Sexta-feira, 2 de Outubro de 2015

Sócrates irreverente, Passos reverente e povo descontente

Sem dinheiro não há boa cara nem boas palavras para ninguém.

Sócrates, entre 12 de Março de 2005 e 21 de Junho de 2011, foi senhor absoluto de um país que fustigou, muitas vezes, com palavras duras, desagradáveis e impiedosas.

A Democracia é isto mesmo. O povo diz-lhe o que lhe vem à cabeça, os políticos ouvem o que não querem e engolem a seco. Alguns vomitam.

O Sócrates nem sempre vomitou o desaforo e chamou os prevaricadores a tribunal por ofensas ao seu estatuto. Uma das vítimas foi um professor de inglês, Fernando Charrua, que foi suspenso das suas funções por ter comentado a licenciatura de sua eminência. Mas se ouvisse, só um milésimo dos insultos a sua excelsa pessoa, dois terços de Portugal estavam no xelindró.

Na altura da aceitação pela Assembleia da República do casamento entre os invertidos, nunca ouvi tanto palavrão, alguns que acrescentei ao meu contido vocabulário quando os assuntos não são para palavreado fácil.

Nessa altura muitos comunistas também abandonaram aquele Partido de salafrários que votam sempre contra tudo o que beneficie Portugal, mas não desperdiçaram o momento para enterrar Sócrates votando a favor de um casamento de imperfeitos que provocam a Natureza não a querendo alimentar e preferem os casamentos contra natura.

Outro assunto que também causou muita perplexidade foi o desmoronar do BPN e de tudo quanto o Governo Socialista fez para absorver os estragos e não causar alarido nas praças estrangeiras.

A desconfiança dos portugueses foi tanto maior quanto viu neste caso a união sagrada entre socialistas e sociais-democratas para que o assunto ficasse em família e nem uns nem outros tugissem nem mugissem.

A queda abrupta de Sócrates e o fascínio francês processou-se ainda enquanto Passos tomava conta do Governo, desde 21 de Junho de 2011, contra a vontade e raiva resmungada da Ferreira Leite que sempre achou Passos incapaz e inculto. Mas o Passos depressa aprendeu e esforçou-se para ganhar o fato de estadista.

Para compreender a Troika teve o apoio do Gaspar e do Álvaro e juntou-lhes o Portas que sabe mais de política do que estes três anjos.

O escândalo do BES, tal como o do BPN, fez que Passos passasse as passas do Algarve e, ou bem muito me engano, ou mais cedo ou mais tarde fará implodir o PSD e o PS por proteção indevida aos seus acionistas, aos barões de um e de outro Partido com chapéu-de-chuva na cúpula, mas que deixa verter águas e desmaia em lugares pouco convenientes.

Portugal foi sempre tratado como coutada de governantes com exceção de Oliveira Salazar, o único impoluto, num país de compadrios e de bons e honestos corruptos que não resistem a enganar o povo.

A continuar XI

Blog anterior “Portugal da política do betão ao pântano político e tanga”

C.S

publicado por regalias às 06:35
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 1 de Outubro de 2015

Portugal da política do betão ao pântano político e tanga

Desde 1962 que a CEE tentava que Salazar chegasse a acordo para a entrada no clube dos ricos. Mas Salazar, que nasceu pobre, desconfiou sempre da esmola por ser demasiado grande e oferecer boa vida, campos incultos e barcos em terra. Resistiu sempre à tentação. Todos os indicadores falhavam o objetivo: não garantiam mais prosperidade a Portugal. Preferiu dar passos seguros em direção ao futuro.

Cavaco, assente no poleiro desde 16 de Novembro de 1985 a 28 de Outubro de 1995, deslumbrado com os 9 milhões que chegavam fresquinhos, todos os dias e que entre 1986 e 2011 atingiram os 80,9 mil milhões, resolveu aplicá-los em autoestradas, centros de congressos, rotundas, hospitais, pavilhões, tribunais, parques industriais, aumento na quantidade de funcionários públicos e aumento de respetivos salários.

António Guterres chamou-lhe política do betão e simpatia. Mas ele que no galinheiro de São Bento também assentou arraiais de 28 de Outubro de 1995 a 2 de Abril de 2002, seguiu a mesma política despesista. Quando viu a quantidade de disparates que tanta gente inteligente tinha cometido, cansado, destroçado, derrotado não teve mais que lançar o grito lancinante dos falhados ao não conseguirem governar Portugal porque não conseguem entender o povo. Gritou de lágrimas nos olhos “Demito-me para evitar que o país caia num pântano político!”

E o homem foi pregar para outra freguesia.

Foi pregar para o mundo. Foi escolhido para Alto-Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, onde a sua ação tem sido altamente meritória e reconhecida e louvada em todos os países.

Seguiu-se ao António Guterres, entre 6 de Abril de 2002 e 17 de Julho de 2004, o José Manuel Durão Barroso que, numa visita rápida aos cantos da casa, percebeu que não tinha ponta onde lhe pegar. Dinheiro ainda menos.

O país estava de tanga. A sua boa estrela acenou-lhe com um lugar na Comissão Europeia. Durão agarrou-o com as duas mãos. Sampaio aliviado assinou o despacho.

Muitos pensaram que Durão ia dar tanga como Presidente da Comissão Europeia. Erro absoluto. Foi uma dos melhores Presidentes que por lá passou. Sinal do sucesso: as condecorações que recebeu de muitos países.

É o destino de Portugal e dos Portugueses dirigir o mundo amando-o e entregando-lhe toda a sua inteligência e toda a sua capacidade de trabalho.

Sucedeu a Durão Barroso, Santana Lopes, entre 17 de Julho de 2004 a 12 de Março de 2005. Nem conseguiu aquecer o lugar. Foi despejado pelo democrático Jorge Sampaio que assim abriu, mais uma vez, o caminho ao socialismo, que tantos milionários tem produzido entre os grandes do Partido, naquela irmandade de gente dúbia e pouco confiável.

E o povo? Contínua de tanga e a bater palmas.

A continuar X

Blog anterior “Portugal da pepineira às bancarrotas e às FP25”

C.S

publicado por regalias às 05:56
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

. Portugal, políticos, poli...

. Portugal nas mãos de Cost...

. Cavaco e os pindéricos co...

. Legislativas foram uma de...

. Diarreia mental de batráq...

. Votação, Câmaras, competê...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds