Quarta-feira, 1 de Maio de 2019

Inovação, o fabuloso mundo em que vivemos

O ser humano tem tudo para viver bem, gozar a vida, trabalhar, ganhar dinheiro, viajar, viver feliz, mas prefere a calhandrice, a politiquice de soalheiro em vez de saborear a vida.

Desde criança desconfiei do mundo onde tinha nascido. Os pobres eram imensos. Esse choque foi tão grande que a minha ambição era fugir do meu País para encontrar o lugar do bem-estar e da felicidade.

Eu nasci nos anos trinta do século vinte. Portugal tinha saído há pouco tempo da miserável Primeira República.

O tempo e as circunstâncias eram totalmente diferentes das de hoje.

A Democracia é idêntica. A mesma parvalheira, as mesmas facilidades que não aproveitam a ninguém.

A Democracia tem de ser tomada como um medicamento. Nem demais, nem de menos. De menos não faz efeito, demais resulta asneira.

Hoje, o ser humano tem tudo e continua pouco mais que miserável.

Se antes não havia as possibilidades dos nossos dias, hoje há tudo, mas o ser humano continua à espera que os Governos lhe metam a papa na boca.

Antes era necessário. Hoje não. Hoje só é pobre e vive mal quem quer.

A afirmação pode parecer exagerada. Mas eu testei-a. Forcei todos os caminhos desde os mais baixos, aos menos rentáveis.

Testei o ser humano, as suas capacidades, quando elas eram diminutas, a rondar o zero e cheguei à conclusão, que só não fazemos aquilo que queremos por desinteresse, às vezes por falta de um pequeno empurrão.

O conhecimento, através do ensino é o melhor meio para se atingir a igualdade, a liberdade, o bem-estar.

O Estado português tem tentado, atabalhoadamente, sem empenho. A determinação tem de ser real para o País dar o salto para o futuro com confiança e segurança.

Enchi-me de coragem para abordar este assunto quando li a Newsletter mensal de Edgar Caetano no jornal digital “Observador”, que sai na última segunda-feira de cada mês.

O impossível deixou definitivamente de existir. O ser humano, viva em Portugal, na Indonésia, no Sri Lanka, em Moçambique ou na Guiné pode rapidamente aceder a todas as inovações que existem no mundo.

A China, os Estados Unidos e a Rússia em vez de desbaratarem centenas e centenas de milhões em armamento podem-no fazer em educação e conhecimento em todos os lugares do mundo.

Garanto-lhes que a gratidão dos povos será eterna assim como a vida do mundo. Caso contrário o tempo de vida para aqueles que têm tudo será idêntico àqueles que nada possuem por desconhecerem as letras e os números elementares para desenvolver nos seus países os algoritmos necessários ao seu bem-estar.

Se os países mais poderosos não pensarem neste assunto, o mundo terminará mais rápido do que Einstein demorou a escrever a célebre equação E=cm2.

 

Anterior “Da Espanha de luto à Espanha fulgurante”

C.S

publicado por regalias às 07:02
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9


26
27
28
29

30


.posts recentes

. Ciganos são os únicos ser...

. As imoderadas exigências ...

. A saúde mental dos portug...

. Greve teatral no país das...

. É possível refazer a vida...

. Portugal adoeceu em 1974 ...

. Mais uma vez os EUA a cam...

. Liberdade para sacrificar...

. Escreva um livro para a p...

. Português, Inglês e Infor...

.arquivos

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds