Segunda-feira, 10 de Junho de 2019

Salvar a terra enquanto se poluem os mares

O ser humano deixou de acreditar na vida. A grande maioria está cansada das incoerências dos políticos, das suas aldrabices, das bombas, das sanções, da doença que tem atacado todos os Governantes..

Eu, que sou um otimista, também estou farto. Às vezes convenço-me que é por estar a caminhar para velho.

Já pensei deixar de ler jornais, ouvir Rádio e ver Televisão, mas por mais que tente não consigo largar a seita que todos os dias despeja catástrofes sobre catástrofes, misturadas com futebol para dourar a pilula.

O meu problema é que oiço pouco futebol e estou viciado na leitura.

Quando leio que os mares estão altamente poluídos e que o Mediterrâneo já vomita plástico que contamina cidades importantes como Veneza, Telavive, Barcelona, Valência, Marselha e milhares de outras, de menor dimensão com plástico, os arautos das meias mentiras esquecem os milhares de cadáveres que a invasão da Líbia pelo seráfico Obama, e os menores mentais Cameron e Sarkozy, juntamente com criminosos da NATO lançaram no Mediterrâneo e nunca mais têm parado de aí enterrarem gente no putrefacto cemitério.

O ser humano, só na região mediterrânica, engole todos os dias milhares de toneladas de dejetos altamente tóxicos que têm fatalmente de os contaminar e enlouquecer.

O caso de Telavive é sintomático. Os judeus que sempre foram meio amalucados, estão a ficar mais loucos.

A mando do patrão americano que lhes promete proteção, atacam continuamente a Síria, esquecendo que aquilo que fizerem têm de pagar com língua de palmo. Eles também já estão habituados a cirandar pelo mundo onde os árabes os esperam pacientemente.

Loucura, verdadeira loucura provocada pelo penico de águas quase salobras que em breve terão um cheiro insuportável se os países mediterrânicos, em conjunto, não tomarem medidas radicais de limpeza.

Mas porque é que eu me preocupo, se já estou tão velho e taralhouco?

Porque também já devo estar contaminado. Tenho de deixar de comer peixe, carne e legumes e se calhar também tenho de deixar de respirar a mistela poluída tanto nos mares, como nos ares, como em terra.

A viagem foi um sonho rápido. Culpa dos homens? Culpa dos deuses? Certamente culpa da fragilidade e incompetência humana.

 

Anterior “Síndrome americano: Vietnam, Cuba, Iraque, Líbia, Síria”

C.S

publicado por regalias às 06:45
link do post | comentar | favorito
Domingo, 9 de Junho de 2019

Síndrome americana: Vietnam, Cuba, Iraque, Líbia,Síria

Estou convencido que a doença americana é muitíssimo grave.

A síndrome que ataca os EUA está a espalhar-se pela Europa e por outros países do mundo que são vulneráveis por estupidez e comodismo. Vietnam, Cuba, Iraque, Líbia, Síria são resultados visíveis do mal.

Vladimir Putin, que normalmente aplica expressões diplomáticas nas suas criticas ao cretinismo, desta vez perante a crassa patetice que os países cometeram ao apoiar o autoproclamado Presidente Juan Guaidó como Presidente interino da Venezuela, chamou-lhes loucos e com exemplos mostrou-lhes o erro cometido.

Há meses também eu lhes tinha chamado a atenção para a supina asneira. Mas não leram o blogue ou se leram não lhe deram qualquer importância.

O aviso de Putin é bem mais grave, com ele estava Xi Jinping, sinal que as duas grandes potências estão unidas e que o resto do mundo pesa menos que os dois juntos.

Os americanos continuam gravemente doentes. Consta que o desfolhante laranja que utilizaram no Vietnam e que matou e causou graves deformações em mais de dois milhões e setecentos mil vietnamitas também contaminou centenas de milhares de soldados americanos que aí combateram e onde muitos foram feitos prisioneiros. Alguns ao constituírem famílias contaminaram todos os familiares. Os americanos estão a sofrer essas as consequências, ficaram patetas.

Seja qual for a síndrome, o certo é que os EUA causaram o caos e a devastação no Vietnam como em Cuba, Iraque, Líbia e Síria, onde o holocausto conta milhões de vítimas.

A Europa e outros sabujos do mesmo jaez ainda não compreenderam isto e continuam a ir na conversa americana, ou no contágio como está a acontecer com a Grã-Bretanha, que era um exemplo de inteligência, bom senso e uma verdadeira Democracia …destrambelhou. O espetáculo do Brexit é das coisas mais idiotas a que o mundo já assistiu. Não é pelo Brexit, é pela maneira como foi discutido na própria Grã-Bretanha.

Os ingleses transformaram um assunto político numa palhaçada que vai ser paga a peso de ouro e com o sacrifício da população que nunca imaginou que isto pudesse acontecer.

A síndrome americana vai continuar. É possível que só uma dose de cavalo Chinesa e Russa os consiga salvar e os ajude a enterrar os mortos.

 

Anterior “As dificuldades espevitam a inteligência”

C.S

publicado por regalias às 06:03
link do post | comentar | favorito
Sábado, 8 de Junho de 2019

Lésbicas e paneleiros têm a vida complicada, cuidado

Duas jovens lésbicas foram agredidas selvaticamente num autocarro Londrino.

Com o rosto cheio de sangue e muito socado, as duas raparigas aparecem na fotografia a chorar e bastante contundidas.

O que venho dizendo há muito, em forma de aviso, vai acontecer frequentemente caso as pessoas do mesmo sexo tenham comportamentos públicos que são de foro privado e em locais privados.

A censura servia para prevenir estas situações. Agora com esta Democracia libertária própria para dar a sensação de liberdade aos mais ignorantes e para lhes dizer, vocês não têm dinheiro para mandar cantar um cego, mas podem fazer tudo o que lhes apeteça, não é verdade.

Os homens e as mulheres não são cães nem cadelas que possam fornicar em lugares públicos.

Por outro lado, a juventude de seis, sete, oito anos é influenciada pelos exemplos e são presas fáceis para pedófilos.

Segundo alguns psicólogos, com quem converso frequentemente, dizem-me que há pais de miúdos violados que vão à procura do predador e só não os matam se não puderem. Muitos casos não chegam ao público porque os pedófilos bem amassados nunca fazem queixa. Eles sentem-se culpados e a vergonha inibe-os de se apresentarem como vítimas.

Não somos irracionais.

As sociedades rejeitam há milhares de anos determinados atos, e não se pode ir contra. Caso contrário andávamos nus nestes tórridos dias de Primavera quando os termómetros atingiram os 44 graus.

As fotografias das jovens, a idade e os nomes, estão na Internet para aqueles que duvidarem desta chamada de atenção, que me deixa a pensar como é que hei de relatar estes factos que incomodam quem os vê.

Se fosse em alguns países árabes, o caso podia ser ainda mais grave. As duas lésbicas seriam hoje dois cadáveres.

 

Anterior “As dificuldades espevitam a inteligência”

C.S

publicado por regalias às 06:11
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 7 de Junho de 2019

As dificuldades espevitam a inteligência

Penso muitas vezes em todos aqueles que querem ser reformados antes dos 65 anos.

A verdadeira juventude começa aos 50. O homem aos 65 está na pujança da vida. Todas as forças estão intactas, a menos que seja um doente normal ou um dos milhares que foram reformados aos 35/40 anos e se tornaram profissionais da Segurança Social.

Hoje, velho só a partir dos 85. Até esta idade tenho encontrado gente nas mais diversas profissões e felizes como pardais.

Muito antes do 25 de Abril a quantidade de velhos era enorme. Todos trabalhavam até ao último dia de vida.

O meu amigo José Bento trabalhou até aos 95. Quando contrariado deixou de trabalhar, morreu.

O senhor José Bento gostava de falar de política. Era um apaixonado socialista, mas não ia na conversa do Soares e detestava Passos Coelho.

Elogiava Salazar sempre que alguém dissesse mal dele. Nascera no tempo da morte lenta da Primeira República, sabia como Oliveira Salazar tinha recuperado o País e o esforço despendido: os bairros sociais, a proteção concedida aos mais pobres, aos sindicatos e aos trabalhadores que podiam ficar com as casas ao fim de 40 anos pelo valor das rendas que pagavam e eram sempre mais baratas do que as rendas normais. Ele conhecia isso tudo.

Como era muito meu amigo ofereceu-me um folheto, de 1940 a incitar o arrendamento dessas casas.

A situação de Portugal contínua péssima e pior seria se os velhos já tivessem perdido o hábito do “produzir e poupar manda Salazar”.

Nos dias de hoje ninguém manda. É proibido mandar e é proibido proibir. Cada um faz o que quer.

Só há direitos, não há deveres. O país navega ao sabor do vento.

Os Governos vão fazendo andar o barco enquanto o Banco Europeu emprestar dinheiro a custo zero. Quando fechar a torneira e os prestamistas aumentarem os juros, ou o país se despovoa ou os campos voltam a florir e as searas a despontar porque a fome aguça o engenho.

Mas haverá sempre quem esqueça “que a preguiça morreu à fome”.

Espero que não seja preciso trabalhar até aos 80 ou 90.

Acredito que as dificuldades espevitam a inteligência e o trabalho dá saúde.

 

Anterior “Observador, o prazer de bem escrever e informar”

C.S

publicado por regalias às 05:14
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 6 de Junho de 2019

Observador, o prazer de bem escrever e informar

Tenho comprado sempre as revistas do Observador, mas depois de ler a penúltima tinha decidido deixar de voltar a ler porque não a achei motivante. Quase me senti enganado.

Felizmente que a dona do Quiosque da Zona Verde, a D. Henriqueta Ramos, é mulher que sabe do negócio. Perante a minha nega, não desistiu. “Passe-lhe os olhos por cima. Se não gostar não compra”.

Mas vem encapada, disse-lhe rindo. “Não faz mal. Desencapote. Eu sei que não resiste.”

Não resisti e li com muito prazer todos os artigos, menos dois sobre futebol. O tempo não chega para tudo quando o interesse é menor.

Nem os restaurantes escaparam. Só um me aborreceu

É mentira ao dizerem que “em tempos pré 25 de Abril a porta das traseiras estava sempre aberta não fosse a PIDE encontrar grupos de mais de três pessoas.

Perderam um cliente ou vários. A ignorância, mesmo muito repetida, não passa em quem gosta de comer bem, mas não ler ou ouvir dislates.

Foi uma pequena nódoa em 146 páginas de interesse, informação, cultura.

Bastava o artigo “Portugal devia ter vergonha de não ser um País de topo mundial” para encher de esperança os mais desiludidos com a fancaria de videirinhos que O têm governado sempre em maré baixa.

Steen Jakobson, em poucas páginas, salienta o valor de Portugal.

Quando o entrevistador, Edgar Caetano, lhe pergunta se o investimento público devia ser maior ou menor, ele responde:

“…acho particularmente preocupante que se esteja a reduzir o investimento na educação…os países mais produtivos do mundo…a Austrália, a Dinamarca, Suécia, Suíça, o que têm em comum é um sistema educativo que prepara bem as pessoas para serem ágeis, produtivas, qualificadas.”

Só lendo toda a entrevista se compreende o que pode ser Portugal ao afirmar de maneira dorida “…sinto que existe quase um orgulho em que nada mude. É frustrante, porque este devia ser um dos países mais prósperos da Europa e um dos melhores do mundo”

Parabéns Observador. Os primeiros cinco anos não podiam ter fechado da melhor forma: trabalho apurado, força motivadora, divulgação inteligente.

Oxalá que no final dos próximos cinco, Steen Jakobson, veja todos os seus desejos confirmados e lhe seja oferecida a cidadania Portuguesa.

 

Anterior “Presidente da República e as cobras cuspideiras”

C.S

publicado por regalias às 05:33
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 5 de Junho de 2019

Presidente da República e as cobras cuspideiras

As cobras cuspideiras da política do quanto pior melhor resolveram contradizer Marcelo Rebelo de Sousa pela maneira, aparentemente ingénua, como expõe as suas opiniões.

Marcelo fala de maneira que todos o entendam e pouco se importa dos catedráticos que preferem conversa hermética e ao seu jeito.

Isto não vem de agora. Não são só os repolhos pançudos do PSD que se atiram ao Presidente.

Há tempos li uma catilinária de um tronchudo do PS, assessor do Mário. Desfez o Marcelo, dizendo-lhe o que Maomé não dizia do toucinho.

Marcelo também não sai isento destas culpas. Tanto quer unir os portugueses que diz bem, até de sujeitos que morreram podres de ricos, depois de terem sido Presidentes de Portugal. Prometeram eliminar os pobres. Fizeram o contrário. Eles encheram os bolsos

Quando Marcelo alvitrou em lhe dar o nome ao Aeroporto do Montijo, também aí fui desagradável com tanta ingenuidade. O Blogue obteve o agrado de muita gente, que critica também o Presidente por proteger salafrários que sempre foram contra ele.

Revejam os comentários de Mário Soares, antes das eleições Presidenciais para ver neles o ódio ao filho do antigo Ministro de Salazar e Caetano, Rebelo de Sousa. Marcelo pode perdoar, mas esquecer nunca!

Se o tipo fosse um exemplo, alguém que tivesse feito algo de útil por Portugal, mas não. Fez precisamente o contrário. Apoiado numa propaganda de bastardos sem coluna vertebral fizeram de Soares e Cunhal salvadores da Pátria, em vez dos seus coveiros.

O bastardo que atacou Marcelo não ficou esquecido. Já que o Presidente teima em não ligar à matilha, há sempre quem o defenda, sem que ele peça. Mas tem de tomar atenção.

O tronchudo do PSD que vem arrotar contra o Presidente não passa de um frustrado. Não é burro. Sabe aproveitar-se da situação em que o país vive para tirar partido dos ninhos que lhe pagam com largueza.

De política só percebe o que lhe interessa. O aluno Rio foi um desastre. É nesse caos que prefere viver.

Só assim se justificam os ataques ao Presidente dos afetos, que às vezes exagera em beijos, abraços, perdões e condecorações.

 

Anterior “Legislativas e os novos palhaços para confundir o povo”

C.S

publicado por regalias às 06:15
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 4 de Junho de 2019

Legislativas e os novos palhaços para confundir o povo

Depois do fracasso das eleições Europeias, a populaça política vai aumentar o número de palhaços.

Quem viveu os tempos difíceis depois da miserável Primeira República, 1910-1926, ter criado milhões de pobres e de miseráveis que a Ditadura Militar, por mais que tentasse, não conseguiu diminuir, quem viveu esses tempos de tristeza e de grandes dificuldades não compreende como o País voltou a um nível de miséria, já extinto com Salazar e Marcello Caetano e regressou pelas mãos de Cunhal que aplicou as regras Leninistas para dominar o país e depois implantar a Ditadura do proletariado.

As ações que este infame implementou continuaram até aos dias de hoje. O País continua minado e por mais que os Governos pretendam governar, há sempre maneira de fomentar o caos através de greves ou de exigências incomportáveis no país onde a agricultura e a indústria foram destruídas.

A juntar a todas as mazelas que o canalha implantou através dos lacaios os Partidos onde pontificam indivíduos de cultura também falharam. Viu-se nestas últimas eleições. Podem ter cultura mas falta-lhes conhecimento do povo e daquilo que ele precisa de ouvir.

Viram-se os resultados. Mais de 70 por cento não votaram. Os percevejos imorais imediatamente apareceram com o abaixamento da moral e maior transtorno em Portugal com a disseminação das doenças sexuais e o reaparecimento de outras que tinham sido erradicadas com a vacinação. Havia Dispensários para tratamento da tuberculose em todo o País.

Como o social-fascista conseguiu fazer impor uma Constituição armadilhada com a proibição de proibir o que não devia ser proibido, as doenças aí voltam com Partidos que as têm como bandeiras da chafurdice.

Se o Governo não souber dar a volta ao que aí vem, ele vai ganhar certamente as Legislativas, mas é capaz de ser o último ano que Portugal será independente.

Só um Partido com maioria absoluta e com gente honesta conseguira salvar Portugal.

Quem não acreditar no que lhe digo é melhor preparar a trouxa e procurar vida nova na velha Europa que não está muito melhor que Portugal, mas onde a democracia ainda tem regras.

Aqui a Democracia é doida.

 

Anterior “China Salvou centenas de milhões sacrificando minoria”

C.S

publicado por regalias às 05:51
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 3 de Junho de 2019

China salvou centenas de milhões sacrificando minoria

Quando em 4 de junho de 1989 algumas dezenas de jovens se manifestaram na Praça Tiananmen contra a orientação da política do Governo Chinês, este, depois de tentar acabar com a contestação, não o conseguindo, as forças policiais carregaram sobre os manifestantes que enfrentaram os tanques do exército, pensando que perante as câmaras de televisão não lhes aconteceria nada. Eles não pararam e houve umas dezenas de mortos, que a Comunicação Social transformou em centenas.

É certo que ninguém concorda com o sacrifício de seres humanos, mas a China estava num período de mudança para transformar uma sociedade depauperada de centenas de milhões por outra pujante, como aconteceu.

O General Wei Fenghe veio confirmar isso ao dizer, em Singapura, que “a China desfrutou de estabilidade e grande desenvolvimento” nestes últimos 30 anos.

O que me espanta, enerva e me enoja é que perante clamorosas mentiras quando foi a invasão, destruição do Iraque e morte do Presidente Saddam Hussein, o Ocidente tivesse elogiado o massacre e nada disso fosse desmascarado.

A seguir, Obama, Cameron e Sarkozy fizeram pior na Líbia: destruíram um país bem organizado, o povo com alto poder de compra, Escolas e Hospitais totalmente gratuitos. Deram uma desculpa esfarrapada, mataram, destruíram e semearam o caos, matando o Presidente Muammar Khadafi que tinha conseguido transformar um país sem rei nem roque no mais próspero de toda a África.

Que fizeram os outros países? Calaram-se.

Em Portugal dizia-se que não podiam ver uma camisa lavada a um pobre.

Os EUA, a Inglaterra e França não são ignorantes. São gananciosos.

É por esse motivo que ardem as catedrais e os terroristas, mais ferozes que chacais, só estão à espera de uma oportunidade para incendiar a Europa inteira e atrair os Estados Unidos da América e o seu cão de fila israelita para um fosso onde todos juntos possam arder em chamas infernais, mas onde cada árabe sabe que tem sete virgens à sua espera, e o cheiro nauseabundo dos arrotos dos camelos não os incomodará.

Os Ocidentais preferiam que a China cedesse aos contestatários da praça de Tiananmen e hoje um bilião de chineses continuasse a cultivar os campos de arroz e a viver na miséria.

É a democracia Ocidental no máximo da idiotice.

 

Anterior “Obama, sanguinário-criminoso e a Venezuela.”

C.S

publicado por regalias às 05:43
link do post | comentar | favorito
Domingo, 2 de Junho de 2019

Obama, sanguinário-criminoso, e a Venezuela

Barack Obama ao impor sanções, em 2015, cada vez mais gravosas à Venezuela, país que tinha reduzido imenso o analfabetismo e a pobreza, mostram bem a infâmia de tipos que, ao prepararem um roubo não olham a meios.

Obama já tinha feito o mesmo na Líbia e na Síria.

Obama, tal como outros crápulas, acusam outros países do que lhes vem à cabeça, invadem-nos, matam-nos e por mais crimes que cometam contra a humanidade, nunca são acusados, nem quem colabora com eles.

A Venezuela cujo PIB cresceu durante vários anos, de repente vê-se atacada e sufocada pelos insaciáveis Estados Unidos da América e por outros países, governados por poltrões submissos ao poderoso império que tem pés de barro como se verá se continuar com as políticas do saque em vez de pensar nos graves problemas internos.

Ninguém esquecerá o que fizeram à Líbia, e a morte de 96 pessoas: crianças, mulheres e homens que foram fritos ao Sol, sobrevoados por aviões, que os viram desfazer-se vivos. Os gritos lancinantes ouviam-se a quilómetros de distância.

Contra a Venezuela tem sido tentado tudo, desde o roubo de dinheiro colocado em vários países para comprar medicamentos e mantimentos, até ao desvio de barcos de produtos essenciais, tudo tem sido tentado para que o povo da Venezuela fique sob as garras dos imbecis que governam o mundo. Fazem-no por medo dos EUA, o que revela bem a fraca qualidade destes infantis propagandistas do que lhes interessa.

É urgente que todos aqueles que apertam o cerco à Venezuela revejam as suas posições.

Atacam o país porque é comunista? A Venezuela é capaz de ser mais democrática que esta gente que bate no peito em contrição e mata todos os outros à traição.

A China é comunista? Leiam Mao Tsé-Tung quando define o comunismo Chinês “Não desejamos a Ditadura do Proletariado, nem queremos um coletivismo que prive de estímulos a iniciativa privada, encorajamos sim as empresas privadas.”

E foi este sistema que fez da China, o que é hoje, uma potência que não provoca, mas já não tolera imposições.

Oss lacaios dos EUA e os próprios EUA sabem que não estão sós no mundo.

Os povos estão cansados de tanta infâmia.

 

Anterior “Polícias recusam ser enxovalhados e fazem bem”

C.S

publicado por regalias às 05:28
link do post | comentar | favorito
Sábado, 1 de Junho de 2019

Polícias recusam ser enxovalhados e fazem bem

O País virou um arraial de populistas. Quanto mais avança, mais se parece com a bandalheira que o social-fascista Cunhal conseguiu levar avante ao transformar um País organizado e próspero num lameiro de loucos, de cretinos de cobardes e videirinhos.

Aquilo que está a suceder agora com os polícias aconteceu em Tomar logo no início desta inculta e incapaz revolução que enche políticos e cravas revolucionários de dinheiro, arrogância e insanidade mental.

Ao desarmarem um polícia em Tomar, lhe roubarem a arma, que nunca mais apareceu, e ao cuspirem para cima de quatro polícias, a que eu assisti à saída do café Paraíso, fez que me oferecesse para dar aulas de Francês e Inglês, para os ensinar a falar com turistas, mas também para lhes garantir que podiam contar com a população.

Foi remédio santo. Como já contei o episódio, evito repetir.

Os polícias são agentes de autoridade. Sem autoridade e as regras que todos os países civilizados seguem, não há nenhum país que consiga sobreviver. Pode aguentar-se uns anos com os políticos e os Presidentes da República a darem uma no cravo e outra na ferradura. Mas o país, em cada ano que passa, mais se afunda. O povo vive cada vez pior. Muitos impérios acabaram assim. Desapareceram.

Em pouco tempo vimos, primeiro, o Presidente da República tirar fotos com um marginal que apedrejou a polícia e a recusar receber os polícias para não lhes ouvir as explicações.

Toda a gente reconhece a Marcelo Rebelo de Sousa inteligência e capacidade de dialética para justificar tudo, até o afastamento dos polícias. Na altura disse que não percebia como se podiam colocar no mesmo plano. Mas ele próprio se colocou no plano dos marginais do Bairro da Jamaica, com fotografia e sorriso para o disparate.

Passados uns tempos são acusados e condenados mais polícias.

Afinal, os polícias servem para quê? Para ir aos Bairros problemáticos e se deixar matar ou têm de ser presos porque cumpriram o seu dever?

Tudo se continua a parecer com a Primeira República, 1910-1926, onde políticos e magistrados foram mortos naquela democracia de fancaria parecida com esta.

O povo está com a polícia. Quando precisarem de ajuda basta pedir.

É infame e estúpido enxovalhar os agentes de autoridade.

 

Anterior “António Guterres e a vocação de todos os portugueses”

C.S

publicado por regalias às 06:43
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. No País dos loucos salvem...

. Profissionalismo, a admir...

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

. Portugal, políticos, poli...

. Portugal nas mãos de Cost...

. Cavaco e os pindéricos co...

. Legislativas foram uma de...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds