Segunda-feira, 1 de Julho de 2019

Médicos e enfermeiros com pinças e insaciáveis

Quando sindicalistas grevistas arrastam atrás de si a ignorância de quem neles acredita, mas que nada mais ganha do que gritar ao vento, os médicos e enfermeiros são classes instruídas e, como diria um político de esquerda, manhosas.

Depois dos enfermeiros não terem socorrido os doentes da Legionella em Vila Franca de Xira e de muitos médicos saídos das Universidades até 1986 pouco ou nada saberem de medicina, o povo deixou de acreditar neles.

Conheço alguns. Até contei a história de um jovem, inteligentíssimo, que foi meu aluno e hoje é chefe de uma Repartição de Finanças.

Resumo em poucas linhas:

Quando li num jornal regional o nome dele a assinar um assunto qualquer respeitante ao seu trabalho fui às Finanças e perguntei por ele a um funcionário. Quando apareceu não o reconheci.

Ele que era pequenote está um homem alto e careca.

Perguntei-lhe se podíamos tomar um café. Foi orientar o serviço e saímos por um quarto de hora.

- Como estás aqui, se estavas destinado a grandes voos?

Ele respondeu-me naturalmente e com o ar gaiato de trinta anos antes:

- Fui para Medicina. Passei o primeiro ano. Não abri um livro. Passei o segundo. Não abri um livro. O terceiro seguia idêntico caminho e disse a meu pai que não queria estudar mais, porque não estudava nem sabia nada. Meu pai bem tentou convencer-me, mas só me via a atender doentes que sabiam tanto de medicina como eu.

Este é um exemplo. Mas tenho vários. Um aluno de Portalegre que orientei através do Skype. A mãe que lê os meus livros ralou-me a cabeça para ajudar o filho que estava insuportável. Aceitei.

O jovem licenciou-se este ano no Instituto Politécnico. Se não lhe tenho deitado a mão, era de certeza um dos muitos doentes depressivos criados por Médicos que receitam sem ter a noção do que fazem.

Se não tivesse percebido que aquilo que acontecia com o jovem era em grande parte causado pela droga que tomava e lhe dissesse que pedisse à médica para retirar os comprimidos, hoje era um farrapo apático e sem força de vontade.

Os senhores Doutores e os Senhores Enfermeiros estão a exagerar. O país está de rastos. Há centenas de milhares de pessoas com salários baixíssimos e que trabalham muito mais do quem anda de corpo ao alto e arranja esquemas de crowdfunding, ameaças, chantagem para exigirem mais médicos, mais enfermeiros e mais dinheiro. São insaciáveis.

Felizmente que temos Centeno. Deixou de os tratar com pinças.

 

Anterior “Infertilidade é normal em mulheres tímidas e nervosas”

C.S

publicado por regalias às 06:04
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29


.posts recentes

. O pior para os velhos não...

. A falsa liberdade despert...

. A fragilidade do ser huma...

. Proibido proibir e usar a...

. Contraditório da Antena1 ...

. Vírus, a fragilidade do s...

. O problema dos velhos

. Vender saber e prazer pel...

. Curso simplificado para t...

. Joacine, independente de ...

.arquivos

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds