Quarta-feira, 9 de Outubro de 2019

Portugal nas mãos de Costa, Centeno e Marcelo

A maior prova que os portugueses não se importam de quem está à frente do Governo e que não enrola em cantigas e em propaganda na Comunicação Social está na travagem do BLOCO, campeão nas aparições públicas, que apesar dos seus 19 Deputados, número igual ao anterior, perdeu 50 mil votos ou a CDU que recuou de 17 para 12 Deputados, sinal que nas próximas eleições o trambolhão vai ser maior porque o povo deixou de acreditar nas promessas destes dois Partidos e verificou que a junção de votos nos dois maiores, PS e PSD será mais vantajoso para Portugal e para os portugueses.

Os pequenos Partidos que agora puseram a cabeça de fora, CHEGA, INICIATIVA LIBERAL e LIVRE são farpas para espicaçar o próximo Governo com assuntos válidos, caso contrário apagam-se naturalmente.

O trio Marcelo, Costa e Centeno vai continuar a funcionar.

O Super Marcelo continua incólume na admiração dos portugueses, fora dos tios e tias de inveja e intriga endémica que atinge os bem mirantes, que preferem as meninas e os meninos queques a um Presidente que não olha à farpela de quem o quer beijar, abraçar e fotografar.

Marcelo tem o sentido de Estado. Os portugueses compreenderam-no, não se importaram com as verdadeiras aparências, eles agarraram-no à Esquerda e à Direita, embora saibam perfeitamente que vem da Direita, mas que aponta à Esquerda sempre que necessário. Compreenderam que tinha razão quando viram todo o apoio ao Costa e ao Centeno.

Antes de qualquer ideologia está Portugal, a economia, a inteligência, a cultura.

Marcelo não evita exaltar a inteligência, o trabalho e a cultura para mostrar com o exemplo de Freitas, que o caminho do sucesso para os Portugueses, tanto de Esquerda como de Direita está no saber e no conhecimento.

A ligação entre Costa, Centeno e Marcelo é fundamental para o novo ciclo em que Portugal vai entrar. O objetivo é o bem-estar de todos os portugueses, e esse tem de ser atingido com a liquidação das dívidas ao exterior, o aumento dos salários, a diminuição do desemprego etc., mas para que isso seja atingido tem de haver a colaboração de todos os portugueses. Portugal não pode estar sujeito a greves constantes, a lamentação patética de gente que acha que já está velha aos 38 anos para ensinar, quando têm o exemplo de um Álvaro Siza Vieira, de um Eduardo Lourenço, de um Adriano Moreira e mais umas largas centenas com mais de 85 ou 90 anos que continuam a trabalhar e a ser felizes com o que produzem.

Não perguntem ao Governo o que ele pode fazer por cada um de nós. Façamos nós tudo quanto pudermos para ajudar o Governo e assim ele possa apoiar todos aqueles que verdadeiramente precisam.

 

Anterior “Legislativas foram uma desilusão para os Partidos ” às 11:26; e “Cavaco e os pindéricos comentadores de Galeria” às 19:41.

C.S

publicado por regalias às 17:46
link | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29


.posts recentes

. O pior para os velhos não...

. A falsa liberdade despert...

. A fragilidade do ser huma...

. Proibido proibir e usar a...

. Contraditório da Antena1 ...

. Vírus, a fragilidade do s...

. O problema dos velhos

. Vender saber e prazer pel...

. Curso simplificado para t...

. Joacine, independente de ...

.arquivos

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds