Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

Profissionalismo, a admiração pelos alemães

A Primeira República, 1910-1926, baixou tanto o nível de vida, que as pessoas perderam o gosto pelo trabalho. A fome e os roubos frequentes tornaram-se doenças endémicas que os sucessivos Governos não conseguiram resolver e a Ditadura Militar que lhe sucedeu pela Revolução de 28 de Maio de 1926 até 1932 pouco conseguiu fazer até entregar o Governo ao Ministro das Finanças em 1932.

O Dr. Oliveira Salazar é empossado no cargo de Presidente do Conselho (Primeiro-Ministro). Em 1933 é votada a Constituição e nasce o Estado Novo.

Com as mãos livres para pôr e dispor do Governo do País, Salazar tem de encontrar meios para estimular os portugueses ao trabalho. Nada melhor que os bons exemplos nesse campo.

Ele próprio não se escusou de copiar a Planificação Russa de 1928; naquele tempo, os alemães eram os profissionais mais competentes do mundo. Os jornais e as revistas portuguesas mostravam o seu exemplo; e, caso espantoso, o desenvolvimento de Portugal, que Salazar com a sua política financeira já tinha dado sinais de grande progresso, com as chamadas de atenção para a qualidade de tudo quanto era fabricado na Alemanha, os portugueses ganharam confiança nas suas capacidades e muito daquilo que tinha de ser importado, peças para automóveis, para fábricas ou para tudo o que não fosse importado, porque o dinheiro era pouco e ainda faltava para os bens alimentares.

A pobreza que vinha da Primeira República continuava a ser grande. É preciso compreender que a Ditadura Militar nunca teve dinheiro para nada. Quando Salazar entrou em 1928, a situação era idêntica. Os primeiros anos, podemos dizer que ele inventou fontes de rendimento, poupando todas as migalhas. Não havia desperdício em nenhum setor.

Isso é fácil de verificar em documentos da época.

Se compararmos os cofres vazios da Ditadura Militar com os cofres cheios da Revolução do 25 Abril e pensarmos que o Estado Novo conseguiu acabar com os pobres, enquanto hoje temos dois milhões e seiscentos mil pobres e mais cerca de cinco milhões de gente remediada a viver mal, temos de concluir que o profissionalismo dos portugueses desapareceu. Não se podem culpar todos os Governos do que está a acontecer.

Em 2020 colocamos a nossa esperança.

É fundamental que o trabalho e o profissionalismo sejam valorizados. Nós somos capazes. Temos de acabar com as greves e outras paralisações que só prejudicam Portugal e o povo. Quem disser o contrário mente, e está certamente a receber muito mais do que merece, por esse motivo não se preocupa com os que têm dificuldades.

 

Anterior “O ser humano comete erros por inconsciência”

C.S

publicado por regalias às 19:22
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Fascismo sem fascistas e ...

. Cunhal teve ideias premon...

. António Ferro, como era d...

. Deputados palhaços ou Dep...

. Quanto tens, quanto vales

. Incompetência ou falta de...

. Isto não é um mundo de ge...

. Esplendor de Portugal atr...

. Catalunha é mais poderosa...

. No País dos loucos salvem...

.arquivos

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds