Segunda-feira, 11 de Novembro de 2019

António Ferro, como era diferente e inteligente Portugal

Espírito inquieto, jornalista brilhante, António Ferro, 1895-1956, viveu o final da monarquia e todos os desaires da Primeira República,1910-1926, sonhando com um Portugal diferente, culto e próspero.

Votado de um dinamismo invulgar, António Ferro, desde muito jovem procurou gente que entendesse as suas palavras, as suas ambições e a vontade de mudar Portugal através do inusitado e da elevação intelectual.

Mário de Sá Carneiro viu o fulgor e a inteligência do jovem. A.F é convidado para ser editor da revista Orpheu. Quanto a mim esse é o passo que vai despoletar em A F a vontade de lutar por um Portugal muito diferente e bem mais inteligente do Portugal da ignorância, dos assaltos, da queda dos Governos e da miséria infame e inqualificável que eram o prato do dia.

António Ferro compreendeu que para modificar a situação e atingir o equilíbrio só o estudo, a muita cultura e o conhecimento conseguiriam salvar Portugal do fosso onde estava atolado.

Cumpre o Serviço Militar em Angola. O Governador-Geral, Filomeno da Câmara, admirado pela sua inteligência designa-o seu ajudante. Pouco depois, com 23 anos é nomeado Secretário-Geral da Província.

Ao regressar à Metrópole verifica que o Jornalismo é o melhor veículo para difundir ideias e esperança, mas para isso tinha de chamar a atenção. Escreve livros e entrevista Governantes conhecidos em todo o mundo.

Em 1923, a censura proíbe a representação da sua peça Mar Alto. Muitos escritores imediatamente protestam. Entre outros encontravam-se António Sérgio, Fernando Pessoa, Jaime Cortesão, João de Barros, Aquilino Ribeiro, Raúl Brandão.

Em 1927 publica “Viagem à volta das Ditaduras” onde insere textos sobre Garibaldi, Pio XI, Mussolini, Primo de Rivera, Mustapha Kemal, etc.

Em 1933, o Presidente do Conselho (Primeiro-Ministro) convida-o para dirigir o Secretariado da Propaganda Nacional, SPN.

António Ferro explode em ideias uteis e geniais a favor de todo o povo português. São de tal modo excecionais que só a ingratidão, o fanatismo e a estupidez justifica a tentativa de o fazer esquecer.

Cria Prémios Literários, realiza a 1ª exposição de Arte Moderna. Edita o boletim Portugal com grande difusão no estrangeiro, de modo divulgar as belezas de Portugal e assim atrair turistas.

Em 1936 inaugura o Teatro do Povo. Em 1937 começam os Cinemas ambulantes do SPN que animam as aldeias e vilas. Em 1939, o Concurso da Aldeia mais Portuguesa, cujo Galo de Prata foi ganho por Monsanto.

Em 1940 são criadas as Brigadas de Turismo para orientar e incentivar todas as Pensões e Hotéis na melhoria da sua qualidade. É neste ano que é inaugurada a primeira estalagem em Óbidos.

A Exposição do Mundo Português tem-no como Secretário-Geral dos Centenários. Portugal é falado em todo o mundo. Judeus e refugiados, dos mais diversos países, que aqui se tinham acolhido, consideram Portugal um Porto-seguro.

Em Novembro aparecem, pela primeira vez os fabulosos Bailados Verde-Gaio, que seguiram o modelo dos Bailados Russos. Junta, aos feitos maiores, o Concurso de Montras. O povo sacrificado da Primeira República não saía da cabeça de António Ferro, a quem Salazar dava total cobertura.

O País transformava-se de Norte a Sul.

Em 1941, no tempo da monstruosa II Guerra mundial, começam os Concursos das Estações Floridas que davam a Portugal a ideia e a certeza de um jardim de Paz num mundo em guerra e hediondo..

Neste ano, António Ferro é nomeado Presidente da Direção da Emissora Nacional, hoje Antena1 onde cria o Gabinete de Estudos Musicais, as festas da Rádio e apresenta o plano das Pousadas de Turismo. No ano seguinte é inaugurada a pousada de Elvas.

Em 1943 aparece a revista de arte e turismo “Panorama”.

Em 1944, o Secretariado de Propaganda Nacional, SPN, passa a Secretariado Nacional de Informação, Cultura Popular e Turismo, SNI, onde eu trabalhei nos anos sessenta e verifiquei a qualidade excelente da Direção de Turismo dirigida pelo saudoso Engenheiro Álvaro Roquette.

Em 1943 dá-se a explosão das Bibliotecas Ambulantes do SNI, os Salões de Arte Moderna e as festas do Maio Florido.

Em 1948 sai a Lei de Proteção ao Cinema Nacional. O SNI cria o Fundo de Cinema Nacional e a Cinemateca Nacional.

Em 1948 é inaugurado o 1º Salão de Artes Decorativas. É promulgado o Estatuto do Turismo, são criados os prémios de Arte Dramática para as Sociedades de Recreio.

António Ferro, depois de 15 anos de intenso labor, de que aqui deixo um minúsculo apontamento, pede a Salazar que o dispense de tarefas tão desgastantes. O Primeiro-Ministro compreende-o e nomeia-o Ministro de Portugal em Berna onde o seu trabalho cultural não pára. Transfere-o para Roma.

António Ferro é incapaz de parar. O seu amor a Portugal é muito maior do que a própria vida.

António Ferro morre em 11 de Novembro de 1956.

 

Anterior “Deputados palhaços ou Deputados competentes?”

C.S

publicado por regalias às 09:31
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Esplendor, PISA, Um dia n...

. A morte da felicidade

. "Portugueses no mundo", n...

. Francisco Assis, o 25 de ...

. Censura sobre livros, não...

. Historietas de historiado...

. Democracia do amiguismo, ...

. Joacine, rodeada de chaca...

. Doutoradas frustradas em ...

. Joacine, não largue São B...

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds