Domingo, 2 de Agosto de 2020

Pobreza tem de acabar. Os portugueses podem ajudar

Os pobres deixam de ser pobres quando sabem ler, escrever, contar e têm acesso à Internet.

Durante mais de 65 anos dediquei-me a estudar este assunto. Tive a sorte de viver 39 anos no Estado Novo e mais do dobro no estado em que nos encontramos.

Vivi também no estrangeiro para compreender se a pobreza era sina de Portugal ou se está disseminada pelo mundo. Cheguei facilmente à conclusão que está espalhada pelo mundo, mais por culpa dos políticos do que pelo povo em geral. Em 1959 havia mais pobres, só em Paris, do que em Portugal.

A ordem, a organização e a segurança é que fazem a riqueza dos povos.

Quem conhece a história de Portugal, desde a implantação da Primeira República em 5 de Outubro de !910 até aos dias de hoje compreende perfeitamente o que estou a dizer.

A Primeira República durou de 1910 até 1926. Foi uma verdadeira desgraça em greves, prisões, pequenos Golpes, fome e mortes.

A Segunda República, vai de 1926 a 1974. Teve uma primeira fase, 1926-1932, considerada Ditadura Militar e uma segunda fase, já com o Professor Oliveira Salazar, como Presidente do Conselho, desde 1932. Com a aprovação da Constituição de 1933, toma o nome de Estado Novo. No artigo 8º garante as liberdades de uma República Constitucional, mas para que a ordem e a liberdade de todos fossem asseguradas, pois continuaram as escaramuças até 1936, saíram leis para impedir que aquilo que tinha acontecido na Primeira República voltasse a suceder. O mundo verificou espantado, alguns anos depois, que um País inviável como Portugal, tinha saído da miséria e do caos em que se encontrava. Há relatos sobre o assunto em revistas e jornais estrangeiros.

Em 1974 Portugal era um país próspero, que Marcello Caetano estava a consolidar como Democracia plena, quando se dá o 25 de Abril.

Ou seja, Salazar, arranca o País da miséria onde tinha sido atolado por greves e revoluções constantes na Primeira República. Em 1960 já Portugal possuía uma das moedas mais fortes do mundo, quando antes valia zero.

A ordem, a segurança e a organização tinham transformado Portugal.

Esta Terceira República, começou mal em 1974 e contínua mal até aos dias de hoje, com alguns momentos de alívio.

E, como é que os portugueses podem ajudar os outros pobres, se eles também sofrem da doença?

Podem. Vamos pôr todos os pobres a saber ler, escrever, contar e a ter Internet. Contamos com o Governo, mais explicitamente com o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, para atingir este objetivo. Ajudem vocês também, insistindo principalmente com os jovens, para estudar.

Hoje ficamos por aqui.

No momento, que for o mais adequado, voltaremos ao assunto.

Os Portugueses podem ser, mais uma vez, o veículo para a transformação do mundo.

 

Anterior “Na cama, papel e lápis são bons companheiros”

C.S

publicado por regalias às 05:14
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Afaste doenças e medos co...

. O aproveitamento dos velh...

. O plástico, as regras e o...

. Diminuir armas, acabar co...

. Inveja derrota Jesus na G...

. O estudo é o melhor reméd...

. Os antidepressivos da Ant...

. O despertar das mulheres

. Escola, alegria, greves, ...

. A imaginação e o Corona

.arquivos

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds