Domingo, 31 de Janeiro de 2021

Vila Moura em festa + infesta

Inacreditável a inconsciência, a distração ou a estupidez que pode matar, mesmo sem recorrer à eutanásia,

Vila Moura em festa é o exemplo do que as pessoas não podem arriscar: fazer festas, dar abraços, não utilizar máscaras.

O Governo; lembro que a Diretora-Geral da Saúde foi ridicularizada pelos palhaços que vivem das doenças, por dizer logo no inicio, que esta pandemia podia atingir, em alguns meses, um milhão de infetados; até este momento temos 700 mil portugueses infetados. Certamente em festas que infestam. Com reuniões e efusivos abraços entre jogadores de futebol, depressa chegaremos ao milhão.

Por mais que o Governo se esforce não consegue nada porque o seu exemplo não é consistente.

Veja-se porque é que Marcelo Rebelo de Sousa ganhou em todos os concelhos do País, caso raríssimo ou mesmo único no mundo. Porque ele é um exemplo de probidade, de poupança, de naturalidade. Tanto nas primeiras eleições, como nestas. Sem fazer qualquer espalhafato gastou o mínimo dos mínimos. Se não fosse a Comunicação Social falar três ou quatro vezes no assunto, ninguém sabia.

Mas o povo está cada vez mais atento. Mário Soares é dos tipos mais odiados, no entanto a Comunicação Social continua a dar-lhe relevo porque foi quem mais beneficiou com a publicidade à Democracia, que fez de Mário Soares um dos homens mais ricos de Portugal e dos portugueses os mais pobres da Europa. Por isso quando lhe chamam pai da Democracia, os políticos deviam ouvir o chorrilho de asneiras que lhe caem em cima.

É o exemplo que conta. A maneira de ser de gente impoluta que faz a riqueza e a felicidade dos povos.

Marcelo ainda não perdeu a esperança de unir todos os portugueses, depois que a primeira pandemia, a do PREC, os separou.

Exemplo que o Bloco e o PCP não conseguiram apresentar nas últimas eleições, por mais que as raparigas se esforcem por prometer o que não podem dar e justificar os seus pouco mais que três por cento e o PCP os quatro, que ainda foram menos em votos do que os do padre palavroso que tinha concorrido nas anteriores eleições Presidenciais.

A Comunicação Social com os seus apoios, pouco sociais, ao proteger, encanar e enganar factos não vai muito longe, e é pena porque a Internet, apesar das suas falhas, depois de as corrigir, pode ser o substituto, se o mundo conseguir sobreviver a um vírus que não larga os festivaleiros e os espalha por todo o lado.

Coloque a máscara. Deixe a teimosia. Como diz o Ditado: lavar a cabeça a burros é gastar sabão, perder tempo, paciência e...acrescento, morte.

 

Anterior “A Ditadura da demagogia dos ignorantes e a honestidade”

C.S

publicado por regalias às 09:27
link | comentar | favorito
Sábado, 30 de Janeiro de 2021

A Ditadura dos demagogos ignorantes e a honestidade

Encontrei o meu amigo Carlos Ramos, sportinguista de gema, muito exaltado porque um jogador do Sporting tinha sido expulso. O árbitro fez meia culpa e concordou que errou, mas o organismo que superintende estas guerras resolveu manter o castigo e impedir que o atleta jogue contra o rival Benfica.

Toda a gente afirma que os mandões tentam proteger o Clube da Luz que vai jogar em breve contra o de Alvalade.

A esta atitude chama-se Ditadura. Ditadura da mais rasca, do mais infame, do mais baixo. Gente ignorante e facciosa, gente de mau caráter e que não deve estar à frente de qualquer organismo.

Os Ditadores foram sempre indivíduos honestos que aceitavam aqueles cargos para proteger os povos. Estudem-se os Ditadores Romanos e imediatamente se compreende o seu papel.

Os maus Ditadores são tipos abjetos, seguidos por gente da ralé que a eles se juntam para tirar benefícios da situação; foi o que aconteceu com Cunhal que ao querer impor a Ditadura do Proletariado, arrastou para a miséria os que o seguiram, com promessas de engano.

Para se perceber melhor a ideia, lembro que André Ventura veio desmontar esta infâmia, quando, todo o Alentejo lhe deu maior número de votos do que ao candidato comunista.

Poderia afirmar que o vírus Cunhal foi mais doentio que o Covid 19. A pandemia do PREC, infelizmente não acabou. Os restos continuam espalhados nos Ditadores ignorantes que ainda pululam no futebol e na Comunicação Social.

Coloque a máscara. Não se irrite, que faz mal à saúde.

 

Anterior “André Ventura contra os perigos da Demagogia”

C.S

publicado por regalias às 11:13
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021

André Ventura contra os perigos da Demagogia

Depois de André Ventura ter desfeito o Bunker Alentejano do Partido Social Fascista Comunista ao libertar os Alentejanos da ignorância a que estavam confinados desde 1974, dos tempos do PREC e da infame estupidez de promessas misturados com a sórdida mentira que escondia a vida miserável na Primeira República, 1910-1926 e o esforço imenso que a Ditadura Militar, 1926-1932, o Estado Novo e a quase totalidade do povo fez para recuperar um País que sem a Organização e a Gestão honesta e eficiente de Salazar e Marcello Caetano ainda hoje estaria no lameiro onde a fingida e odiada Democracia o tinha lançado, nessa Primeira República de fome, miséria e morte.

A Democracia é um bom sistema, e Salazar aplicou-o n sua forma de Democracia Orgânica, a que alguns demagogos, bem intencionados continuaram a apelidar de Ditadura, depois do levantamento permitido, mais por Marcello Caetano, do que pela valentia dos rapazes. A palavra certa era Ordem e trabalho, Ditadura foi mais para juntar os portugueses. A ignorância e o oportunismo só ouviu o que lhe interessava.

O resultado foi aquele que todos conhecemos: País altamente endividado, com a agravante desta pandemia.

Economistas internacionais, de alto coturno, têm vindo a alertar para o perigo que Portugal corre. Esperemos que António Costa, João Leão e Mário Centeno não se deixem intimidar pelos especialistas em demagogia, difundida através dos meios de Comunicação, onde os Comunistas continuam infiltrados como piolhos e onde Álvaro Cunhal os colocou depois da derrota no 25 de Novembro de 1975. O traidor foi salvo pelo comunista Melo Antunes e pela ingenuidade de quem o deixou à vontade para continuar as suas maquiavélicas infiltrações.

André Ventura, apesar de atacado pela imbecilidade e o oportunismo daqueles que não querem largar os postos, altamente rentáveis, onde estão instalados, tentam desacreditar o esforço do “CHEGA” para que tudo continue na mesma e 19 ou 20 por cento da população continue a sugar o suor e o sacrifício dos outros 80 ou 81 por cento do resto do País.

Felizmente os trabalhadores alentejanos deitaram a canga ao chão e os distritos alentejanos, assim como a maioria dos outros distritos portugueses mostraram com o voto em André Ventura que a situação tem de mudar se o povo quiser sobreviver.

Todos estaremos atentos para que os demagogos e a ignorância não continue a desfazer um País que deu Novos Mundos ao Mundo e que é mais do Ser do que do Ter, mas que, quando lhe chega a mostarda ao nariz não há ninguém que lhe faça o ninho atrás da orelha.

Coloque a máscara. Não faça como os jogadores de futebol, que depois de uma vitória se abraçam e se infetam de alegria, alergia e doença que lhes quebra a força e por vezes a vida.

 

Anterior “Tanto para aprender e tão pouco para viver V”

C.S

publicado por regalias às 09:48
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2021

Tanto para aprender e tão pouco para viver

Estou convencido que Guterres, Marcelo e Costa podem ter um desafio decisivo no desenrolar deste mundo que, neste momento, está nas mãos do Covid e que os Americanos se aprestam a desfazer em território Chinês.

Os americanos já começaram com as ameaças à China, caso os Governantes Chineses não autorizem que eles vasculhem todos os recantos para saber como tudo começou e de onde saiu o vírus, se do cu de um morcego ou de algum chinês com diarreia sexual.

O Obama, como conselheiro do Biden, não me augura nada de bom. O tipo é um criminoso que desfez a Líbia, um país próspero.

Morrer de vírus ou através de bombardeamentos, não sei qual será pior.

Em vez das vacinas duvidosas que chegaram, mas que aumentou a pandemia, mais uma vez eu poria as Universidades Portuguesas a trabalhar neste assunto.

O Vírus veio pôr ordem no mundo e, enquanto não acreditar que ele tomou juízo, não larga.

António Guterres, como Secretário-Geral da ONU e tendo 95 ou 96 por cento do total dos países do mundo sob a sua alçada, pode ainda convencer os países mais ricos a ligarem-se uns aos outros através da Internet para as decisões serem tomadas de imediato e não deixar nenhuma região sob o domínio do impetuoso vírus.

Marcelo pode servir de porta-voz de Guterres; a sua inteligência e gosto de viver a vida e ajudar a viver convencerá os mais renitentes e belicosos a utilizar, em vez das armas, o entendimento e a sensatez.

António Costa, como Presidente da União Europeia, está numa posição essencial para, com Angela Merkel, falar com Putin.

A Internet é fundamental para os contactos políticos e para a aprendizagem de todo o ser humano, acabar com a pobreza dos Reformados com 275€ por mês para morrer lentamente à fome, e aprenderem nas escolas aquilo que é essencial para a a sobrevivência de todos os povos do mundo. A infeção de um será a morte de todos os outros.

Coloque a máscara. Pense neste assunto. Defenda-se e defenderá a zona onde vive.

 

Anterior “Tanto para aprender e tão pouco para viver IV”

C.S

publicado por regalias às 09:56
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2021

Tanto para aprender e tão pouco para viver IV

Portugal e o resto do mundo estão nas mãos do Covid. Para solucionar esta situação teremos de voltar aos tempos simples.

Os Portugueses devem começar pelos trabalhos nos campos onde o ar livre, a labuta e os pássaros afastarão as investidas da pandemia que prefere as cidades, os ajuntamentos e os descuidados.

Garantir a alimentação dos portugueses é fundamental para prosseguir a batalha.

O Governo deve pedir aos Municípios um levantamento pormenorizado de todo o tecido social para estabelecer uma estratégia educativa de forma a erradicar a ignorância, enquanto as sementeiras garantem ao País uma alimentação natural e saudável.

Cada Autarquia deve juntar ao seu poder, o poder financeiro de quem possui capital abundante para desenvolver a região de tal maneira que o exemplo possa ser exportado para os grandes países que ainda continuem com o flagelo pandémico, tal como acontece à sua volta.

Por um lado, a pobreza dos países e por outro o excesso de gastos inúteis alimentam a pandemia.

Os portugueses podem sugerir a distribuição rápida dos serviços digitais e uma Internet eficiente na difusão como os países podem ser organizados nos campos essenciais para defesa de todo o ser humano que está numa união Global a que já não se poderá desligar.

O salto no avanço mundial foi muito rápido e alargou, de maneira descomunal, o fosso entre os países considerados ricos e os países pobres. As guerras também ajudaram à contaminação. Os mortos estão na casa dos 500 mil nos EUA e nos 20 mil no Reino Unido, isto para dar só dois trágicos exemplos da pandemia.

O ensino através da Internet é eficaz. Já fiz a experiência. Com os mais pequenos também funciona desde que em casa haja uma pequena orientação, que pode ser fornecida pelo Ministério da Educação, com linguagem simples, aos pais ou aos tutores.

Coloque a máscara se sair à rua. Não entre na confusão da máscara. Há sempre palhaços a confundir. Coloque aquela que tiver à mão.

 

Anterior “Tanto para aprender e tão pouco tempo para viver IV

C.S

publicado por regalias às 10:10
link | comentar | favorito
Terça-feira, 26 de Janeiro de 2021

Tanto para aprender e tão pouco para viver III

A pobreza é o maior travão da aprendizagem e o grande impedimento do verdadeiro sucesso na vida.

O ser humano já não tem desculpas para aquilo que acontece. A Internet veio resolver as dificuldades.

Em todos os países do mundo.os políticos têm de ser os mais cultos e os mais honestos. É a partir deles que os países se formam, crescem e todos os seus habitantes progridem no bem comum.

A pobreza, como ainda acontece em Portugal, em que muitos Reformados a partir dos 66 anos recebem 275€ por mês é inacreditável. A outros países no mundo acontece o mesmo e, acreditem ou não, o Covid 19, é um alerta para que esta situação termine imediatamente, ou então o Mundo não vale a pena, acaba.

O envolvimento Global dos países tem de ser seguido pelo conhecimento Global através da Internet.

Nenhum país, por mais desenvolvido e rico estará seguro, se o Covid continuar ativo em países onde a pobreza tenha impedido a vacinação em massa das populações.

Não compreender isto é continuar a entesourar e a impedir que as diferentes regiões do mundo sejam contínuos focos de doença e morte.

O ser humano quando nasce, normalmente vem equipado com defesas naturais que o poderão levar até a uma idade avançada, que só não conseguirá atingir pela agressão continuada nos corpos por operações desnecessárias, em vez de pequenos apoios.

Tudo isto pode ser divulgado através da Internet que tem de ser introduzida rapidamente em todo o mundo o que, paradoxalmente ainda não acontece porque os países mais prósperos continuam a não querer perceber que o seu bem estar depende do bem estar de todos os outros países.

Portugal pode ser um exemplo. O 25 de Abril, feito com boas intenções e facilitado por Marcello Caetano, veio desfazer um sonho devido à estupidez do social-fascista Álvaro Cunhal e dos oportunistas ignorantes que o acompanharam na destruição do que estava em franca evolução.

Mas a culpa não foi só deles, muitos dos políticos e militares juntaram-se à pandemia da estupidez para conservarem o seu capital e mordomias. Viu-se o que aconteceu. O povo, primeiro acreditou na ladainha do Soares e de outros da sua igualha com a bandeira da  Democracia Representativa e permissiva que os deixou sugar o país até ao tutano.

André Ventura contra esta politiquice de morte e mentira, levantou a bandeira da verdade e arrasou a mentira Comunista, a grande culpada da situação em que os trabalhadores se encontram. O Alentejo votou contra os seus próprios ocupantes. Ventura foi vencedor absoluto não só nos distritos Alentejanos, mas na maioria dos outros.

Quem continuou a alimentar a mama? Os que vivem à roda do poder: Lisboa, Porto, Coimbra e o mais inapto, Setúbal, porque gosta de sofrer.

Estou convencido que Portugal, depois deste abanão, poderá ser uma luz para todo o mundo. Como? É isso que tentarei extrair do pensamento e salvar esta bola Global que se encontra à beira do abismo e ainda não compreendeu.

Coloque a máscara. Não tenha receio, mas não arrisque a vida por teimosia.

 

Anterior “Tanto para aprender e tão pouco para viver III”

C.S

publicado por regalias às 09:50
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2021

Tanto para aprender e tão pouco para viver II

António Costa, Marcelo, Guterres e a maioria dos Portugueses podem ser os verdadeiros autores da renovação de um Mundo cansado de conversa fútil e sem resultados práticos. A maioria das palavras e dos atos soa a falso.

Dou um exemplo assente nas Eleições que tiveram o seu epilego ontem, ao terminarem com muitas queixas da Ana Gomes, a candidata que mais publicidade teve através dos presumidos analistas políticos que recorreram à muita alarvidade e laxismo da Rádio do Estado que não teve também rebuço em chamar constantemente a atenção para os candidatos comunistas e para a rapariga semi comunista que ficou num falso segundo lugar e se afirma socialista, mas que eu penso liberta de apego a qualquer rótulo. Ela falha por ser impetuosa. Os analistas, esses falham para defender os seus próprios interesses. Um amigo meu diz que falham por serem burros. Eu não acredito que sejam burros, querem sim fazer dos outros burros. Falham por serem gananciosos.

Portugal não pode continuar como até aqui desde que há 46 anos recebeu o 25 de Abril, com festas, foguetes, ignorantes e uma Democracia esburacada e aproveitada pela Esquerda, Direita e pelas Extremas.

Esta Democracia já tinha sido experimentada na Primeira República, 1910-1926, e foi tão odiada pelo povo, que preferiu uma Ditadura Militar a ouvir falar de Democracia.

Salazar que não meteu prego nem estopa nesse levantamento militar do 28 de Maio de 1926, ao ser convidado para Primeiro Ministro em 1932, faz sair a Constituição de 1933 e batizou o País de Estado Novo, com todas as regras da Democracia Representativa, mas que ele a formatou em Democracia Orgânica, por ser aquela que melhor defende o povo.

António Costa, que além de Portugal carrega todos os países da União Europeia, tem, é urgente, e não admite desculpas, de obrigar (insistir) o país a trabalhar os campos para evitar a outra pandemia, que é tão grave como esta que estamos a viver, a fome.

Costa, a fome não perdoa. Acredite no que lhe digo.

O povo já não se deixa levar pelos malabarismos à Mário Soares que morreu podre de rico, e avisou, quando elegeu Oliveira Salazar, o maior Português de sempre, apesar da frenética propaganda contra ele.

Agora, André Ventura é sem dúvida o maior vencedor destas eleições, com um número superior de Distritos ganhos a seguir a Marcelo Rebelo de Sousa.

Analistas, comentadores de sarjeta, oportunistas, entupiram, depois de terem dito cobras e lagartos do André, mas voltarão à carga. O Costa não perca tempo com quaisquer explicações; o País precisa de atos. O primeiro tem de ser a garantia do cultivo dos campos. A pandemia atingiu, felizmente (Nos próximos dias explicarei este “felizmente) todos os países do mundo e António Costa não pode arriscar. Além de poupar dinheiro nas importações, não dará cabo do coração nas aflições. Vá por mim que nunca me preocupei em criticar ou felicitar qualquer Partido desde que ele lute a favor de Portugal ou dos Portugueses.

Temos tanto para aprender e tão pouco tempo para viver que Portugal merece que estejamos todos unidos para salvar Portugal e, quem sabe, o Mundo de um fim inglório, violento e de grande sofrimento.

Coloque a máscara. Aproveite a Internet para conhecer e aprender, o muito que desconhece.

 

Anterior “Tanto para aprender e tão pouco para viver”

C.S

publicado por regalias às 10:55
link | comentar | favorito
Domingo, 24 de Janeiro de 2021

Tanto para aprender e tão pouco para viver

Quando as pessoas descobrem o prazer da vida já passaram os primeiros dezasseis anos, e, quando pensam que podiam ter feito muito mais para viver a felicidade a que todo o ser humano está destinado já estão em cima dos 90. O pensamento funciona, mas o corpo arrasta-se.

Chegar àquilo que está convencionado chamar.se a velhice nem é difícil. Basta viver a vida com prazer, ter trabalho e o suficiente para comer, vestir, calçar, sustentar os filhos e dar-lhes uma boa educação.

A educação é fundamental para saber tirar proveito da vida.

Se o corpo me deixar, os próximos blogues serão sobre Portugal, os portugueses e o mundo que nos acompanha nesta caminhada que este pequenote veio meter na ordem e avisar que ou tomamos juízo ou volta tudo para a amassadeira Universal, e durante mais uns milhares de anos ficarmos de pousio.

Como tinha pensado ir votar às 8.00, acordei às cinco, meditei neste assunto até às 5.30 e preparei-me para chegar a horas. Já havia duas filas com umas cinquenta pessoas cada. Gostei. Mas o povo não está feliz.

A felicidade requer cultura. Cultura requer estudo e o estudo requer orientação.

Nada mais fácil do que transformar o mundo. O Espírito Criador já fez o seu trabalho. Falta fazer o nosso. Vamos a isso.

Coloque a máscara. Vá votar. Areje. Acredite em si.

 

Anterior “Radicais Livres de riso, mistura e confusão”

C.S

publicado por regalias às 10:27
link | comentar | favorito
Sábado, 23 de Janeiro de 2021

Radicais Livres de riso, mistura e confusão na Antena 1

Um programa na Antena 1, aos sábados,  que podia ser bom, parece mais uma fantochada impercetível do que um trabalho válido.

Acabei de ouvir o último e fico preocupado.

Claro que eu percebo o que os dois confusos risotas querem dizer e onde querem chegar, mas a maioria das pessoas volta-lhes as costas. O que para eles parece ser indiferente desde que a bolsa da RTP-Antena1 lhes pague.

Por favor, Nogueira Pinto e Pedro Tadeu, tenham consciência da maneira como comunicam!

Não vale tudo, quando as fragilidades de quem lhes paga é mais que evidente.

Coloquem a máscara e uma rolha no riso exagerado.

 

Anterior “Cinco minutos de jaz e José Pires Ramos”

C.S

publicado por regalias às 12:56
link | comentar | favorito

Cinco minutos de Jaz e José Pires Ramos

Quase todos os dias oiço o programa de José Duarte, “Cinco minutos de Jaz” por volta das dez da noite ou às três da manhã. E não aprecio jaz.

Só gostei de um ou dois dos muitos que tenho ouvido. Ontem foi um deles. Muito bom.

Oiço os programas, porquê? Para tentar compreender a paixão que o meu amigo José Pires Ramos tinha pelo Jaz e a resma enorme de discos que possuía, ao mesmo tempo que ele ouve a escolha do José Duarte.

O Zé era um castiço. Nunca o vi zangado. Não faltava aos dias da Mocidade Portuguesa, mas a sua farda limitava-se à camisa desfraldada e a mais nenhum elemento; nem bivaque, nem calções. A camisa chegava para entrar para a sala onde estavam os livros de geografia, os jogos de Xadrez, Damas e o Gamão.

O Zé enfronhava-se imediatamente nos assuntos Topográficos e o Professor Morcela, que era o dirigente que superintendia a Ordem naquele povoado, nunca repreendia o Zé por não ir fardado. Aquilo que lhe agradava era o interesse do rapaz.

Julgo que ganhámos sempre os percursos que fizemos nas serras de Alpedrinha, Estrela, Lousã, no Gerês, no Algarve e ao redor de Castelo Branco.

O Zé agarrava no Croquis e ninguém mais se preocupava. Ele lia aquilo como os músicos leem as partituras.

O Zé, fez a sua carreira profissional como Topógrafo. Adorava o trabalho. A Mocidade Portuguesa tinha-lhe descoberto a vocação.

E porque estou a dizer tudo isto e não vou logo direito ao assunto?

Só para situar a ação, numa altura em que estamos todos confinados, e perceber como passar o tempo.

Eu acredito nos espíritos. Fiz experiências que me provaram que o corpo não passa de um suporte para duas forças que regressam ao Espírito inicial quando o corpo morre.

Em França aprendi a maneira como era possível o chamamento, mas, mesmo com os resultados à vista, tinha sempre dúvidas. Em Portugal comprei uma pequena quinta perto da Barquinha e aí tive a certeza da realidade dos factos. Infelizmente, um dos meus grandes amigos veio a falecer passado pouco tempo de uma sessão onde ele viu a imagem do pai. que eu nunca tinha conhecido. A partir desse momento nunca mais utilizei aquele método. Prefiro conversar, em monologo, com os meus amigos. É o que faço com o José Pires Ramos. Como sei a paixão que tinha pelo Jaz, forço-me a ouvir e a discordar daquela descoordenação de sons que não entendo.

Pois é, quando não tem nada para fazer e está quase a entrar em stress converse com uma amiga ou amigo que já tenham ido de abalada para o Espírito de onde hão-de regressar. Fale com eles, oiça as sugestões, ria e brinque com as recordações. Evite assuntos tristes. Vai ver que o Covid, sem hospedeiros, terá tendência a desaparecer.

Coloque a máscara. Prepare a esferográfica. Amanhã é dia de eleições. Vá votar.

 

Anterior “Marcelo e Costa desiludidos com o povo”

C.S

publicado por regalias às 10:17
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Chinês, números até 100

. Old friends, se rirem men...

. Todos acreditam nos portu...

. Dezembro e Janeiro que fa...

. Chiinês. pronomes e verbo...

. Costa e Rio combatem por ...

. PSD faz a festa, PS ainda...

. O Mundo entrou em pânico

. Chinês, ,meses

. Marcelo e a Democracia ca...

.arquivos

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub