Sexta-feira, 1 de Janeiro de 2021

Diferença entre Democracia Orgânica e Representativa

A Democracia Orgânica, ao contrário da Democracia Representativa é a que protege todas as pessoas.

Enquanto a Democracia Representativa, aquela que desde há 45 anos tem servido para desgoverno do País através da corrupção, do nepotismo (favorecimento de familiares) e do engano, a Democracia Orgânica porque está interligada em todos os sectores da Sociedade, as suas defesas são automáticas por serem escrutinadas com menos espalhafato, mas mais eficácia até a Sociedade se tornar mais justa, mais igualitária e mais natural.

Salazar conseguiu provar isso sem fazer alarde sobre o assunto ao retirar Portugal da escabrosa miséria em que a Primeira República o tinha deixado.

Ele tomou sempre opções em que o beneficiário foi sempre todo o povo.

É fácil verificar isso. Passado pouco tempo sobre esta política natural e descomplexada, o Escudo que antes não tinha qualquer cotação: no final dos seus anos à frente do Governo, era uma das moedas mais fortes do mundo. Quando em 1945 estive em Espanha, pela primeira vez, o Escudo valia mais de duas Pesetas.

A Democracia Representativa ao passar para as mãos dos eleitores que escolhem os seus representantes, que não conhecem, estes, quando se apanham nos cargos fazem o que entendem e agem, muitas vezes, mais segundo os seus interesses, do que com os interesses do povo que representam.

Basta comparar com a Democracia Orgânica seguida por Salazar para, sem qualquer facciosismo, verificar o resultado de um, que começa um Governo, sem um cêntimo e o da Revolução dos cravos que parte com os cofres cheios que depressa esvaziam e ainda com uma dívida astronómica sobre os mercados externos.

Quanto ao comportamento, tive oportunidade de afirmar na Assembleia da República, que era muito mais livre em Portugal, no Estado Novo, do que na maioria dos Estados Europeus onde tinha trabalhado. E provava-o contra qualquer demagogo que me contestasse.

Salazar era totalmente contra a infiltração do Comunismo em Portugal, tal como foram os Governantes da Primeira República porque todos conheciam as centenas de milhares de mortos que provocou para provar a viabilidade de uma ideia, em alguns pontos aceitável, mas que ao fim de mais de setenta anos verificaram ser impraticável e o comunismo ter desaparecido do país que o tinha defendido.

Salazar prova também que não está contra a política que cada Governo pretenda seguir e defender nos seus próprios países, mas não fazer o inferno na casa dos outros. Ele não vota a favor do Plano Anti Komintern contra a URSS, apesar de pressionado pela Europa. Ser Estadista é bem diferente de ser oportunista.

Também Churchill não ia na conversa da Democracia Representativa que abria a porta a coisas muito boas, juntamente com o escancarar todo o sistema às falcatruas, à libertinagem mais sórdida de que a juventude é a grande vítima e por isso o seu desaparecimento em plena força da vida porque tudo é permitido.

A Democracia Representativa só é válida em países altamente evoluídos que respeitam o bem estar de uns e outros, onde não há invejas e ganância insaciável de uns em desfavor de outros.

Normalmente, a Democracia Representativa favorece sempre muito mais uns, que outros. Por esse motivo, Salazar escolheu a Democracia Orgânica onde os Sindicatos e as Associações patronais se equilibravam no trabalho e nos seus interesses, como ficou provado pelo estado em que encontrou o País e anos mais tarde quando a doença o colheu de surpresa, como o deixou.

Coloque a máscara. Amanhã continuamos a conversa. Mas antes ainda lhe desejo um bom ano 2021 e seguintes. Quanto melhor formos todos, mais depressa saímos deste sufoco. No meu tempo de jovem, o País também foi atacado de várias “epidemias”, desde a varicela, a papeira, o sarampo, a escarlatina, as lombrigas, a raiva, a Tuberculose.

Eu tive sarampo, devia ter os meus quatro anos. Lembro-me dele porque as janelas do quarto estavam cobertas com tecido vermelho.

A vacina da tuberculose, era obrigatória e eu que nunca achei piada a vacinas, adorei aquelas riscas que uma bela enfermeira, no Liceu Nun’Álvares, em Castelo Branco, no meu primeiro ano, me fez uma festa, com mãos de veludo e voz cantante, que de tão embevecido que estava teve o Dr. Alberto Trindade, me dizer: ó rapaz, olha que a sessão acabou.

Serviço excelente. E os portugueses têm de ser sempre os melhores em tudo quanto fazem. Melhores na Dicção, melhores nas canções com sumo e harmonia, melhores no trabalho manual. Melhores em tudo.

Na passagem do Ano estive com imensa gente até às duas da manhã. O Miguel conduziu-me desde Portugal até aos Estados Unidos através da Antena 1, que nasceu comigo e lhe tenho sido sempre fiel. Depois não resisti ao Noticiário. Ouvi e adormeci.

Desejo a todos um ótimo 2021. Espero que sejam tão felizes como eu, mas com um pouco mais de dinheiro.

Com trabalho, livros e ideias, não há vírus que resistam.

 

Anterior “A Constituição de 1933 com as regras Democráticas”

C.S

publicado por regalias às 11:24
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Centenário da maldição so...

. Gestão, desperdício e sof...

. Aeroportos sem aviões

. Venezuela e os benemérito...

. Nova vida em novo mundo

. Solidariedade ainda pode ...

. Passados dois mil anos, P...

. Aproveite o confinamento ...

. Emergência nas infraestru...

. Gato escaldado natalício ...

.arquivos

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub