Quinta-feira, 1 de Julho de 2021

Primeira República 1910-1926 Promessas e miséria VII

Em 1916 as greves espalharam-se aos funcionários Municipais e aos estudantes nas Universidades.

Em Lisboa, os motins tèm cada vez mais mortes.

O Governo pensa em todos os estratagemas e vê que entrar na Guerra, além da tentação da Inglaterra esquecer o esbulho das Colónias seria a maneira de travar a contestação no País. Como ninguém declarava guerra a Portugal, o Governo toma essa iniciativa. A 24 de Fevereiro de 1916 são aprisionados todos os barcos Alemães estacionados no Tejo. Os Alemães, contrariados, declaram-nos guerra, mas Portugal é que tem de a procurar nos Campos da Flandres.

Afonso Costa pede a demissão do Governo para ser constituído um Governo de União Nacional e assim evitar a contestação dos outros Partidos.

Em Tancos vão ser concentradas todas as Tropas destinadas a participar na frente de Batalha. Soldados mal preparados, indisciplinados e mal instalados vão viver cerca de dez meses numa cidade de pau e.lona.

São reduzidos os cursos da Escola de Guerra para fabricar Oficiais que irão morrer, fatalmente, nos Campos de Flandres (Bélgica, Países Baixos e França).

A Lei 621 de 23 de Julho acaba com as Paróquias que passam a denominar-se Freguesias.

Os assaltos e os ataques à bomba aumentam. A loucura não abrandou com a ideia de ir para a Guerra.

 Machado Santos faz sair um número falso do "Diário do Governo" com a demissão do Ministério e a sua nomeação para Presidente. O Governo ao dar pela gravidade do ato, suspende todas as garantias individuais, declara o estado de Sítio e espera o revolucionário em Abrantes. Leva-o para Lisboa com todos os seus companheiros e mete-os no Cruzador Vasco da Gama em regime de prisão.

O ano de 1917 não começa melhor. Botelho de Vasconcelos estende a revolta por Lisboa e Porto. A falta de alimentos, alimenta as lutas.

Em Janeiro partem 57000 homens para combaterem numa Guerra para onde não tínhamos sido chamados.

O Corpo Expedicionário Português (CEP) ficou conhecido como Carneiros Exportados de Portugal devido aos muitos mortos ali deixados.

O Ministério da União Sagrada que Afonso Costa teimava em chamar de União Nacional cai, mas aceita formar novo Governo logo que os Ingleses nos emprestaram dois milhões de Libras para comprar material de Guerra. Sempre haviam de sobrar alguns trocos para outras despesas.

Devido à escassez de tudo, o pequeno comércio de rua prolifera. Peixe, água, ferro velho, peles de coelho e de cabrito a que os pregões dos vendedores e dos compradores davam um certo ar de graça, para enganar a fome e atenuar tanta desgraça.

Em Maio começam as aparições de Fátima. Mas as greves e os assaltos não diminuem. O Governo, em Julho, para conseguir trabalhar em paz decreta, mais uma vez o estado de Sitio em Lisboa. A cidade toma o aspeto de uma cidade fantasma, toda entaipada e sem gente nas ruas. Quem aí era apanhado arriscava-se a levar uma grande carga de porrada, como dizia o povo.

O pão passa a ser feito com aveia, cevada, um pouco de farinha e favas. As ervas dos campos, à volta de Lisboa, eram, para muitos, a refeição possível. A miséria era inimaginável.

Todos acusavam Afonso Costa de Ditador, corrupto e prepotente, mas com muitos Guarda-costas e muita inteligência, o homem dava sempre volta aos boatos e à cabeça de quem o ouvia.

Como as greves não paravam, o Governo encontrou mais uma solução, substituir todos os Grevistas por batalhões de voluntários e por Escuteiros.

Encerra Liceus. Mas inaugura o Instituto Superior de Agricultura, na Tapada da Ajuda.

Em Dezembro e aproveitando o descontentamento que grassava por todo o País, o Major Sidónio Pais e Machado Santos derrubam o Governo. Bernardino Machado vai para Paris e Afonso Costa, como não escapou a tempo. é preso. Não gostou. Logo que foi solto partiu para França. Nunca mais voltou a aceitar nenhum cargo em Portugal.

Coloque a máscara. Não há para onde fugir. O Vírus está de olho alerta em todo o mundo. Com máscara, usando a inteligência e de mãos limpas, você pode salvar Portugal. Acredite em si.

 

Anterior “Primeira República 1910-1926 Promessas e miséria VI”

C.S

publicado por regalias às 08:09
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Cursos Universitários Onl...

. Seguros contra as pandemi...

. Alguns médicos e outros e...

. Portugal continua de luto...

. Dois milhões vivem com me...

. Com a morte na alma. O Pa...

. Todos tão bons e Portugal...

. Os países e as migrações....

. Homem novo e raça de Com...

. O ser humano está a regre...

.arquivos

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub