Terça-feira, 9 de Fevereiro de 2010

O inimputável Rangel

Depois dos inimputáveis do Conselho de Ministros que votaram o Diploma de consagração dos pederastas, e dos deputados Bloquistas, Comunistas, verde-vermelhistas e socialistas que pederasticamente enveredaram pelo mesmo caminho, temos agora o inimputável Rangel que à semelhança das Ildas, das Anas, do Miguel transgénico, do Soares e de outros tipos menores, protegidos pela imunidade parlamentar bolçam dentro e fora os mais sórdidos ataques ao seu próprio País na forma do Estado Português, como na dos seus mais altos representantes nos areópagos estrangeiros.

O que acabo de afirmar é muito grave e desesperadamente triste. Levar-me-á à prisão e à morte, mas é preferível o sacrifício do que assistir impotente à destruição de Portugal na celebração dos 100 anos da República.

Estes têm feito quase o mesmo, que os da Primeira República concretizaram: lançaram o País no caos, na miséria mais degradante, na violência e morte aviltantes. Tudo em nome da democracia ditatorial com que governaram durante 16 anos.

Estes receberam um Pais organizado, próspero, de contas em dia e a caminho da verdadeira democracia.

Quando uma revolução à Solnado tomou conta de Portugal, voltou a instalar-se o caos e a miséria em nome da liberdade que fechou escolas, destruiu empresas, roubou propriedades em nome de uma Reforma Agrária que rapidamente acabou quando não havia mais nada para pilhar.

Os comunistas, e a sua central sindical, ao arruinarem o tecido empresarial colocaram Portugal no grupo dos países indigentes com dois milhões e trezentos mil pobres, setecentos mil desempregados a viver da esmola estatal e novecentos e dez mil imigrantes que, felizmente, trabalham para algumas, poucas, centenas de milhar de glutões que ganhando largos milhares de euros por mês se julgam a salvo do terramoto que os engolirá assim como às famílias, que cada vez serão mais reduzidas devido ao asqueroso diploma que um Conselho de Ministros sufragou.

É lamentável dizer o que acabo de afirmar, mas a mentirosa capa da liberdade democrática a isso me obriga.

Grita-se liberdade, insinua-se liberdade no povo menos culto para lhe oferecer tudo menos que democracia. Nunca pode haver liberdade nem democracia quando o povo não tem trabalho e estoira de fome. Que democracia é esta? É democracia para os de barriga cheia.

Sopram continuamente aos ouvidos do povo: és livre! Deviam acrescentar: és livre de morrer, de viver na miséria, de andar de braço no ar, de sujar as paredes, de dizeres asneiras e de te destruíres na pedrastia com sida, e na porcaria.

Os "libertadores", que têm os cofres cheios, são incapazes de, nesta hora em que o País não aguenta mais sevícias, propor a redução, para metade, dos seus ordenados, de modo a salvarem o País onde nasceram.

Estes "libertadores" sabem-se inimputáveis. Têm imunidade parlamentar e ministerial. Enganam muito mais do que os da Primeira República porque os seus instrumentos de sucção estão muito mais aperfeiçoados. Sabem que a Comunicação Social, que controlam, abafará, ainda por mais algum tempo, o choro e o desespero de quem sobrevive com pouco mais de duzentos euros por mês enquanto o Rangel, o Portas transgénico, a Ana inconsequente juntamente com todos os colegas dos Partidos e do Governo saboreiam as fezes de um Povo que pouco mais tem para lhes dar.

C.S 

publicado por regalias às 08:23
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Incompetência ou falta de...

. Isto não é um mundo de ge...

. Esplendor de Portugal atr...

. Catalunha é mais poderosa...

. No País dos loucos salvem...

. Profissionalismo, a admir...

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds