Quarta-feira, 8 de Dezembro de 2010

Salário, produtividade, qualidade.

Depois do 25 de Abril 1974 ninguém pensou mais em produzir o suficiente para que o seu salário ficasse salvaguardado. Raros foram aqueles que mantiveram a sua produtividade e qualidade. No 25, Portugal era um país livre, como se nunca o tivesse sido nos quarenta anos anteriores. Os tambores da Comunicação Social, soprados por comunistas e outros oportunistas, clamavam que cada um podia que fazer o que muito bem entendesse. Na Primeira República também tinha sido assim. Aos poucos o país foi definhando.

Razão tinham Oliveira Salazar, Humberto Delgado e Henrique Galvão. O comunismo seria a destruição do País e a forma mais abjecta de condução do ser humano. A ideia era boa, mas na prática não funcionava. A União Soviética para conseguir atingir os objectivos teve de matar milhões de pessoas. Setenta anos depois chegou à conclusão que o comunismo era inviável e o comunismo morreu mais calmamente do que tinha nascido e se tinha desenvolvido.

O 26 de Abril de 1974 quis implementar o comunismo na versão socialista. A consequência foi a destruição dos meios produtivos e o quebrar a vontade dos activos que tudo movimentam. Resultado? O estado, meio moribundo, em que nos encontramos.

Mas somos portugueses. Temos o élan da Fénix. Nem comunistas nem acéfalos semelhantes nos podem quebrar a vontade de um Portugal livre, democrático e sensato.

Sócrates ao propor aos sindicatos que nos contratos de trabalho esteja bem explícito que o salário de cada um venha ligado à qualidade de trabalho dá um passo para inverter a situação calamitosa em que nos encontramos. Maria João Rodrigues acrescenta que o aumento da produtividade e o crescimento da economia ao aumentar as remunerações de quem produz melhor é outro estímulo para quem trabalha. Acrescenta: " A questão não é trabalhar mais horas, é trabalhar melhor, com mais qualidade e sermos mais competitivos em sectores de valor acrescentado."

O remédio para o país nem é violento. Ele é a prova que 36 anos de erros e vida parasitada só podem conduzir à desgraça e ao imprevisto que pode ser trágico.

Esperemos que Sócrates não hesite perante o chorrilho demagógico que os sindicatos irão usar para não deixarem levantar os trabalhadores. Eles são a base, a miséria e a ignorância de que se alimentam. Oxalá eles mudem. Se não o fizerem, tanto sindicatos como trabalhadores, serão engolidos pela asneira e desacerto em que teimam em viver.

Portugal é o País de todos nós. É urgente meter mãos, inteligência e determinação ao trabalho.

C.S

publicado por regalias às 20:30
link | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Nascimento, reis e cresci...

. Sociais Fascistas à beira...

. Nascimento, reis e cresci...

. Nascimento, reis e cresci...

. Nascimento, reis e cresci...

. Nascimento, reis e cresci...

. Nascimento, reis e cresci...

. Nascimento, reis e cresci...

. Nascimento, reis e cresci...

. Radicais Livres, quase se...

.arquivos

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub