Terça-feira, 15 de Novembro de 2011

Autoridade, até que enfim!

Quem, durante os primeiros vinte e cinco anos dos trinta e sete de regabofe, anarquia e total desrespeito por todas as Instituições do Estado, e não tiver vivido ou estudado os trinta e seis anos em que o Professor Oliveira Salazar foi Primeiro-Ministro de Portugal, há-de pensar que vivíamos em feroz Ditadura. Nada mais falso e mais abjecto. O engano dos arautos da mentira sórdida está à vista nos dias de hoje.

Portugal chegou ao estado calamitoso em que se encontra por termos vivido em cima de um colchão de mentiras desde o levantamento do 25 de Abril.

Quando hoje leio no SAPO, um texto enviado pela "Lusa", sobre a reposição da autoridade nas escolas ainda hesito em acreditar que isso vai ser fácil.

A autoridade das escolas, imposta por decreto, não resulta nem nunca resultou que eu me lembre, mesmo no tempo do Dr. Salazar. Tanto nas escolas como em tudo o resto o português sempre gostou de infringir as regras.

A falta de autoridade nas escolas resulta do medo e do laxismo dos professores.

Depois do 25 de Abril foi amplamente difundido que "É proibido, proibir". Todos baixaram os braços. A escola perdeu vontade, amor e interesse.

Noventa por cento dos professores demitiram-se do seu múnus. Aqueles que não o fizeram tiveram problemas com colegas e com o Ministério. Os jovens ficaram com todos os direitos, mesmo o direito de insultar, vexar e cuspir nos professores que os contrariassem. Perante este desaforo, a maioria dos professores alinhou com a ditadura da criançada.

A autoridade impõe-se pelo saber e pelo conhecimento. Autoridade não quer dizer violência, quer dizer que o orientador, seja na escola, seja noutro serviço qualquer, diz o que mais convém e aqueles que estudam ou trabalham seguem as regras com prazer. Sentem o conforto do conhecimento.

Quem tem autoridade, autoriza. Não foram as crianças e os jovens que subverteram a autoridade foram os professores que se demitiram das suas funções.

O Governo ao repor a autoridade nas escolas vem confessar que também ele foi culpado por não ter apoiado os professores que tentaram travar o excesso de energia juvenil que muitas vezes extravasa em disparate.

Autoridade? Até que enfim! Os jovens agradecem. Estão fartos de fazer o que lhes apetece, sem sentirem o prazer de quebrar regras e terem a possibilidade de ser castigados.

C.S

publicado por regalias às 07:55
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2023

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13


24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Portugal, País de marinhe...

. Acredito na inteligência ...

. Todos mandam, ninguém se ...

. “Liga” perde combate na c...

. Em 146 a.C destruíram Car...

. O fim da guerra com estro...

. Estupidez criminosa alime...

. Tanto quis ser pobre, que...

. Português -Russo, 145

. Português -Russo. 144

.arquivos

. Janeiro 2023

. Dezembro 2022

. Novembro 2022

. Outubro 2022

. Setembro 2022

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub