Segunda-feira, 23 de Março de 2015

A fascista Catarina salva a ministra das Finanças

Ao querer empolar a frase dos cofres cheios, a Catarina disse uma verdade. Eles estão cheios para pagar as dívidas, mas acrescentou erradamente que o mesmo aconteceu no regime fascista em que os cofres estavam cheios, mas o povo vivia mal.

A ignorância da Catarina Martins do BE é abissal! Só comparável ao Costa, o traidor, que para fazer esquecer o ato contra o amigo Seguro, se esganiça para enrolar papalvos nas próximas eleições.

Primeiro, o Estado Novo não era fascista. Segundo, o povo já não vivia mal, apesar da Ditadura Militar. Fixe bem: Ditadura Militar e não Ditadura de Salazar e ainda menos de Marcelo Caetano.

Fascista é a Catarina, o Cunhal e todos os demagogos que, com arrogância infantil e bacoca tentam desviar a verdade de um tempo difícil, que saiu da miséria total para um tempo de progresso, alegria, boa disposição e aumento da população. Verifique, estude, compare. Teatros a abarrotar de gente. Parque Mayer sempre esgotado. Se o tempo fosse de miséria, como era quando a Ditadura Militar pôs termo à Primeira República e, dois anos depois, quando Salazar toma conta das Finanças e dá o exemplo do trabalho e da solidariedade, Salazar não teria sido escolhido o maior Português de sempre.

Nesse tempo, saído da miséria da Primeira República, 1910-1926, nas casas onde o trabalho era mais rentável havia sempre uma panela de sopa e um naco de pão para os pobres que eram aos milhares.

Felizmente vivi quase todo esse tempo. Alguns anos depois tive oportunidade de criticar o que estava mal. Tenho provas, livros que escrevi, bem contundentes. Artigos cortados. Nunca fui incomodado. A seguir a este forrobodó onde a Catarina quer tirar o maior proveito fui a tribunal por um único artigo de jornal pensando com ele ajudar os militares a não cometerem os erros que o povo iria pagar, como aconteceu nas três bancarrotas, onde os cofres ficaram vazios. O agradecimento dos néscios era meter-me na cadeia.

Quando se deu a Revolução, permitida por Marcello Caetano, os cofres estavam cheios. Sabe porquê? Primeiro, porque não havia gente disponível para desenvolver mais o tecido industrial. Segundo, não havia desemprego e muita gente tinha aproveitado os altos ordenados dos países europeus para aí ganhar num ano o que aqui ganharia em três. Terceiro, tínhamos a Guerra nas Províncias Ultramarinas e era necessário o Governo estar prevenido para qualquer contingência imprevista.

Sou contra as mentes gordurosas das Catarinas, dos Rebelos ou dos Costas e lutarei por Portugal e pelos portugueses sempre que os funâmbulos tentem confundir para atingir reles objectivos .

C.S

publicado por regalias às 06:14
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Incompetência ou falta de...

. Isto não é um mundo de ge...

. Esplendor de Portugal atr...

. Catalunha é mais poderosa...

. No País dos loucos salvem...

. Profissionalismo, a admir...

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds