Terça-feira, 25 de Junho de 2019

Ciganos são os únicos seres livres em todo o mundo

Os ciganos nunca reivindicaram qualquer território. A sua liberdade é filha da Natureza.

A Nação cigana é a Natureza. Para viverem pouco mais precisam que o Sol e as estrelas, um pouco de água pura das fontes e um pequeno negócio para sobreviveram em sociedade.

Nos dias de hoje, a sociedade empurra-os para dentro dela. Quere-os iguais, sujeitos à liberdade condicionada que os obriga a ganhar dinheiro.

Os ciganos podem ser seduzidos, mas dificilmente ficam presos à ganância. A liberdade não os obceca pela riqueza.

O ouro não os cega. Entre a liberdade e o dinheiro preferem a liberdade.

Minha mãe, quando saturada pelas minhas traquinices repetia constantemente: “tu não és meu filho. Comprei-te aos ciganos.” Tanta vez me disse isso que um dia perguntei ao meu pai. Ele riu-se. “Não vês que a tua mãe está a brincar contigo. Tu és meu filho. Tens os olhos azuis como eu. Já viste algum ciganito de olhos azuis?”. Nunca tinha reparado.

Esta atração pela maneira como os ciganos viviam ao ar livre deveu-se a eles ficarem muitas vezes numa propriedade da família, terem muitas crianças com quem eu queria brincar, mas os pais chamavam-nos sempre. Nunca me deram muita confiança. Mas se sabia que os ciganos estavam na propriedade, arranjava sempre meio de meu pai me levar até ao local onde tínhamos uma garagem.

O Lelo, da minha idade, 5 ou 6 anos, era o único que aparecia imediatamente. Sentava-se num Chevrolet de 1927 e eu deixava-lhe mexer no volante.

Muitas vezes escrevi sobre ciganos, mas a sua maneira de ser tem tanto de mistério que nunca consegui escrever um livro sobre eles.

Fiquei feliz quando ontem, Dia Nacional da Pessoa Cigana, a Secretária de Estado para a Cidadania e igualdade, Rosa Monteiro declarou, em Tomar, abrir 100 bolsas de Estudo, para jovens ciganos, no Ensino Secundário.

A primeira intervenção na Assembleia da República sobre estes assuntos, fui eu que a fiz, com o Título “A Criança Cigana”.

Comecei por lembrar aos Deputados o seguinte:

Sem esquecer a homenagem devida à heroica persistência na luta por uma vida livre e independente, quase única no mundo, não posso deixar de lamentar, especialmente neste momento, o abandono a que vem sendo votada a criança cigana, para a qual ninguém pensou jamais em infantários, em maternidades, em jardins escolas, nem ninguém quis recuperar e encaminhar na vida”.

Em Tomar tenho pelo menos três ou quatro jovens ciganos que ensinei a ler e a escrever há 7 anos quando tinham entre os 5 e os 9 anos. A Alexandra, o Nando, a Lídia, o Lúcio eram miúdos sempre atentos e aplicados. Tenho imensas fotografias onde eles aparecem concentrados no trabalho que lhes passava.

Felicito a Secretária de Estado, Rosa Monteiro e o Governo, por este apoio a um grupo minoritário de gente muito inteligente, mas que necessita de acreditar em quem o pretende ajudar a ir mais longe do que o saber ler e escrever.

 

Anterior “As imoderadas exigências das artistas do Bloco”

C.S

publicado por regalias às 05:46
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

. Portugal, políticos, poli...

. Portugal nas mãos de Cost...

. Cavaco e os pindéricos co...

. Legislativas foram uma de...

. Diarreia mental de batráq...

. Votação, Câmaras, competê...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds