Sexta-feira, 22 de Junho de 2018

É desumano que os países estejam contra a Venezuela

Governar um país é extremamente complicado. E mais complicado se torna quando as portas de todos os outros se fecham.

Tomemos como exemplo Portugal.

A Primeira República, 1910-1926, devido a todas as promessas que fez ao povo e que não conseguiu cumprir imediatamente, viu-se sufocada por centenas de greves que pioraram a situação de tal maneira, que os Governos caíam uns a seguir aos outros sem que os países “amigos” os ajudassem com abertura de créditos. Bem pelo contrário, a Inglaterra e a Alemanha combinaram mesmo dividir as colónias portuguesas entre eles. Mas, de repente, rebenta a Primeira Guerra Mundial, 1914-1918; os políticos forçaram a entrada no conflito para salvarem as colónias.

Além de morrerem milhares de soldados portugueses no conflito, a situação económica agravou-se: as prisões encheram-se e a miséria tornou-se uma chaga em todo o país.

Ninguém emprestava dinheiro à Primeira República. Os militares fazem a revolução do 28 de Maio de 1926, decretam a Ditadura Militar e pedem à Sociedade das Nações um crédito de milhões de Libras para conseguirem governar. A Sociedade das Nações não emprestou. Não tinha garantias de receber e impôs condições vexatórias que os Militares não aceitaram.

Em 1928 Salazar foi chamado a Ministro das Finanças. Garantiu que resolveria o problema desde que o deixassem trabalhar sossegado e os Ministros não pudessem gastar mais do que ficava combinado.

Partindo do nada, do menos zero, Salazar recuperou Portugal e tornou o escudo uma das moedas mais fortes do mundo.

A Venezuela encontra-se numa situação idêntica. O grave, a grande infâmia, é que num mundo onde tudo de bom é possível, a Venezuela tem um conjunto de chacais, de cães da pradaria, que outra coisa não são, que os mais estúpidos dos seres humanos. A partir do momento em que os Venezuelanos rejeitaram as ordens dos americanos, todos os países ocidentais fizeram o mesmo.

O mundo mudou imenso. Aquilo que Salazar conseguiu fazer sem qualquer auxílio externo, hoje é quase impossível porque os avanços tecnológicos que permitiram a construção de grandes refinarias, precisam de peças para funcionar, assim como as outras indústrias. Esse material está nas mãos de quem lhes aperta o garrote e não as fornecem.

A Venezuela sobrevive com grande dificuldade e não será por qualquer outra mudança política que ela melhorará a vida do seu povo.

É necessário uma ajuda urgente à Venezuela para que a fome e a falta de medicamentos não dizime um dos povos mais cordatos e doces neste mundo onde a hipocrisia humanística é a regra geral.

 

Anterior “Melania, inteligência e sensibilidade adoçam Trump”

C.S

publicado por regalias às 12:04
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14

20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Paleio, só paleio, nada m...

. Touradas à portuguesa e t...

. Portugueses no Mundo, ama...

. Dois milhões e seiscentos...

. Portugal, país de atrasad...

. LGBT nas escolas e prosti...

. Lésbicas e lésbicos têm d...

. Sociais-fascistas do BE e...

. Exércitos perdidos no tem...

. Auditem-se Forças Armadas...

.arquivos

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds