Domingo, 23 de Fevereiro de 2014

Marcello Caetano, Spínola e Costa Gomes

Marcello Caetano não sabe como proceder e não deixa que as forças de segurança atuem.

As Brigadas Revolucionárias fundam o Partido Revolucionário do Proletariado.

Os trabalhadores agrícolas de Alpiarça fazem uma semana de greve.

A 24 de Novembro o Movimento dos Capitães reúne-se em São Pedro do Estoril e Melo Antunes aproveita o descontentamento provocado pelo Dec. Lei 353/73 para os incitar a fazer um Golpe de Estado, única maneira de terem as suas carreiras garantidas.

A independência das colónias vai ser pressionada por Melo Antunes, a quem Spínola, já depois do 25 de Abril, acusa de alta traição no livro “País sem rumo” página 301.

Em Dezembro, os capitães voltam a reunir em Óbidos para escolherem a Comissão Coordenadora do Golpe.

Marcello Caetano está informado de tudo o que se passa. Está cansado, está doente, não tem soluções.

As personalidades que convida para trabalharem consigo continuam a não aceitar servir Portugal.

A 22 de Dezembro de 1973, o Governo aumenta as Forças Armadas, mas, Melo Antunes, um sabujo ao serviço da URSS, e que estava referenciado nos arquivos da PIDE que desapareceram, já não deixa que a ideia do Golpe volte atrás para conceder a rápida independência às colónias como ele e Cunhal estavam mandatados para o fazer.

Os outros que atuaram da mesma maneira, o Soares, o Almeida, o Rosa Coutinho e outros menores fizeram-no por inconsciência, sem pensar nos crimes monstruosos cometidos depois da independência das colónias, apesar de Salazar e Marcello Caetano várias vezes terem referido que a Independência precipitada iria provocar grandes banhos de sangue.

Custa-me crer que o fizessem por malvadez como muitos daqueles que regressaram das colónias os acusavam.

Apesar da grave crise do petróleo, (em Janeiro de 74 publiquei o livro “Os Homens são difíceis”. Pode ser lido em  www.cunhasimoes.net ) que todo o mundo atravessava e da qual Portugal sofria o impacto, mesmo assim a situação financeira é muito boa. A parte política continuava a degradar-se.

A 14 de Janeiro de 74, Spínola toma posse como Vice-Chefe do Estado Maior das Forças Armadas e arrogantemente afirma: “as Forças Armadas não são a Guarda Pretoriana do poder”.

Marcello Caetano tem a certeza que os militares estão em marcha. É a maneira de lhes entregar o poder.

Em 31 de Janeiro, Spínola publica o livro “Portugal e o Futuro” onde advoga a adesão à CEE, o fim da Guerra do Ultramar e a constituição de novos Estados.

Marcello Caetano manda chamar Spínola e Costa Gomes e entrega-lhes o poder.

Eles não aceitam e, dissimuladamente juram-lhe fidelidade.

C.S

publicado por regalias às 08:35
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2023

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13


24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Portugal, País de marinhe...

. Acredito na inteligência ...

. Todos mandam, ninguém se ...

. “Liga” perde combate na c...

. Em 146 a.C destruíram Car...

. O fim da guerra com estro...

. Estupidez criminosa alime...

. Tanto quis ser pobre, que...

. Português -Russo, 145

. Português -Russo. 144

.arquivos

. Janeiro 2023

. Dezembro 2022

. Novembro 2022

. Outubro 2022

. Setembro 2022

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub