Quarta-feira, 11 de Março de 2020

O 25 em voo livre de roubos e testas-de-ferro

Andaram Salazar e Caetano a poupar, a apertar os cordões à bolsa para não repetir o que tinha acontecido na Primeira República, 1910-1926, com prisões a abarrotar de presos, fome e miséria por todo o lado devido ao excesso de promessas não cumpridas e de greves sucessivas.

Os políticos não tiveram uma estratégia coerente de salvação nacional.

Salazar, bem mais prudente, inteligente e experiente por ter nascido pobre, mas honesto; primeiro pensou a estratégia para dar de comer aos milhões esfomeados e só aceitou entrar no Governo quando teve autorização para aplicar o seu plano de ressurgimento Nacional.

Isto vem na sequência da morte de mais um político que morreu de barriga cheia de pouca vergonha, muito dinheiro e o país bem mais pobre do que no Regime anterior, devido às falcatruas e às debilidades de muitos políticos e militares a seguir ao incoerente 25 de Abril que, com a promessa de liberdade para dizer asneiras e beneficiar os trabalhadores, só espalhou libertinagem e miséria para milhões e bolsa escancarada para poucos milhares.

A diferença vai desde as dezenas de milhares de euros para reformados da elite dos espertos aos 280 euros para quem trabalhou uma vida inteira.

Mas os muito ricos também morrem e não levam com eles o que roubaram aos cofres do Estado e à população esquelética e desesperada.

Portugal não pode continuar neste rumo. Costa e Centeno parecem esforçar-se por mudar rapidamente a situação, caso contrário o colapso é mais que evidente.

Ninguém ficou feliz pelos roubos cometidos. Era bom que houvesse a coragem de levar políticos e magnates a um escrutínio sobre o que todos e cada um fez desde o 25 até aos nossos dias. Desde as mais altas figuras do Estado, mortos e vivos, desde o Mário ao Mortágua, que entre testas-de-ferro para lhes guardar o saque até aos ladrões de bancos e de propriedades todos enganaram o povo. Os do poleiro condecoraram os seus parceiros de roubo do alheio para lançarem poeira sobre o que aconteceu.

Os mortos deixaram filhos e filhas que podem ressarcir o Estado com o muito que foi desviado; os vivos têm de devolver o que nunca conseguirão gastar. Só assim Portugal pode voltar a ter contas em dia e a não desaparecer por falência ou por qualquer Corona que os matará pela fome e pelo desespero.

 

Anterior “As fraquezas do ser humano e a força do vinagre”

C.S

publicado por regalias às 09:19
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Os mais vulneráveis não e...

. Recuperar o tempo perdido...

. O vírus e os os micróbios...

. Antes de se deitar dê uma...

. Um país inteiro envergonh...

. Vivemos num mundo de palh...

. A 9 de Abril de 1918 morr...

. Anarquia ou Democracia fo...

. Oiça o Portugalex e deixe...

. Cangalheiros continuam a ...

.arquivos

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub