Terça-feira, 20 de Novembro de 2018

O pobre só é pobre porque é teimoso

Depois do blogue “Dois milhões e seiscentos mil escravos em Portugal” recebi muitas cartas.

Cheguei à conclusão que apesar de esta pantomina Abrilista ter colocado o país de pantanas, os mais débeis já tiveram tempo de se recompor da euforia inicial que atirou os ignorantes para o buraco.

Treze anos depois desta triste saga que desembestou em 1974, o ensino continuava no caos. Aprendia-se tudo menos o que era necessário.

Entre 1987-1991, o Ministro da Educação, Roberto Carneiro, começou a reverte a situação e os Ministros Manuela Ferreira Leite 1993-1995; Eduardo Marçal Grilo 1995-1999; Guilherme de Oliveira Martins 1999-2000; David Justino 2002-2004; Maria de Lurdes Rodrigues2005-2009 e Tiago Brandão Rodrigues, desde 2015 prepararam e estruturaram o ensino para colocar Portugal ao nível dos padrões Europeus.

Pelo meio houve imensas incompreensões, de indivíduos formados na velha escola que não queriam compreender como o Processo de Bolonha e as normas Europeias autorizavam cursos superiores de três anos, equivalências de disciplinas com o trabalho desempenhado e entradas nas Universidade ou nos Politécnicos a maiores de 23 anos.

Os emproados nem deram conta que Salazar em 1963-1964 tinha autorizado as licenciaturas com dois anos para acudir à avalanche de alunos que começavam a entrar nos Liceus de todo o País.

Esta conversa fica para outra altura. Vamos ao que interessa:

O pobre só é pobre porque é teimoso e preguiçoso. Por que afirmo isto de maneira seca, dolorida e ao mesmo tempo cruel?

Os jovens, todos os jovens, mesmo os muito pobres, têm o apoio do Estado, através do Ministério da Educação e o caminho aberto para a fortuna, para o bem-estar, para o conhecimento.

As Escolas apoiam os jovens como nunca o fizeram. Eu tenho seguido o trabalho exemplar dos Politécnicos, com Professores competentes e dedicados que tem orgulho nos seus alunos, os guiam com prazer e os ajudam a modificar as vidas.

A Europa evoluída sabe que ao fazer ingressar estes jovens nas suas Instituições ou em qualquer grande empresa, ao fim de três ou quatro meses eles mostram o valor da sua força de trabalho e conhecimento.

Desde há anos que sigo um pequeno apontamento da Antena1 “Portugueses no Mundo.” Todos são produto das nossas escolas.

Conheço pessoalmente 13 jovens que saíram dos Politécnicos e estão na Alemanha. Formaram empresas de topo.

Hoje, apesar da confusão, das greves, da inveja, da ignorância que contamina este país temos a extensão de Portugal na União Europeia.

Será que me fiz entender? Ou estão à espera que o Governo os vá buscar a casa e à força tal como os professores do tempo de Salazar faziam?

A Democracia não permite. É obrigada a deixar ficar os teimosos e os preguiçosos pobres na cama, a lamentar a sua sorte.

A Democracia é um bom sistema político, mas esta parte nunca a entendi.

Os Suecos, os Alemães, os Austríacos e os Norte Americanos estão com o mesmo problema que eu.

É urgente afinar o sistema democrático.

 

Anterior “Paleio, só paleio, nada mais que paleio”.

C.S

publicado por regalias às 05:38
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Portugal é um país de ana...

. EUA usam a força para tra...

. Radicais Livres ...de aud...

. Greves, egoísmo, ignorânc...

. Sábado, Parque Mayer e os...

. Os velhos e o esqueciment...

. Greves, Moody's e três em...

. Jornais e revistas afunda...

. Der Spiegel, a coscuvilhi...

. Estivadores não sejam bur...

.arquivos

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds