Quinta-feira, 30 de Janeiro de 2014

O Povo é o grande sacrificado porque recusa estudar

Desde muito cedo que os políticos e os revolucionários da Primeira República (1910-1926) perderam o controlo do Governo de Portugal.

Houve quatro razões para que isso acontecesse:

1ª – Promessas exageradas ao povo e nunca cumpridas.

2ª – Ataques violentíssimos à Igreja.

3ª – Greves constantes.

4ª – Falta de dinheiro para despesas correntes.

Mas para encher os bolsos a militares e políticos, que faziam os Golpes e mudavam de Governo como quem muda de camisa, para esses havia sempre.

Afonso Costa encheu o Governo de familiares e amigos e a sua fortuna aumentou escandalosamente quando o povo vivia na miséria.

Os Democráticos-Republicanos ao prometerem mundos e fundos ficaram com uma dívida que não conseguiram resolver.

A seguir, Afonso Costa faz uma perseguição implacável à Igreja Católica, esquecendo-se que a Igreja tinha acompanhado a formação de Portugal e que não seria de um dia para o outro que conseguiria mudar crenças e mentalidades. Afonso Costa obcecado pelo ódio mandou perseguir padres, com vários mortos, encarcerar outros, fechar seminários e conventos. Desterrar Bispos.

António José de Almeida, que foi um grande tribuno e o único Presidente da Primeira República que conseguiu levar o mandato até ao fim, ele que tinha sido grande amigo de Afonso Costa, ao conhecer todas as infâmias cometidas, por um homem que era muito inteligente, não resiste em acusar Afonso Costa de ser um dos grandes culpados do falhanço das políticas seguidas e da situação em que Portugal e o povo se encontravam.

Quando a fragilidade, os roubos e a hesitação dos Governos se tornaram evidentes os sindicalistas forçaram as greves e o povo se estava mal, pior ficou.

Os Governos da Primeira República, com a capa de Democráticos procederam de maneira muito mais violenta do que os governos ditatoriais.

Há falta de soluções, os democráticos prendiam os contestatários, espancavam-nos e muitos morreram ou no cárcere ou no degredo em Angola e nas outras colónias.

Apesar da grande falta de dinheiro dos Governos, a verdade é que um lugar, mesmo por pouco tempo, num ministério, dava para que os políticos recebessem compensações incompatíveis para o estado em que Portugal se encontrava. Por isso, tanto militares como políticos fizeram tantas Golpadas e houve quase cinquenta Governos em menos de dezasseis anos, o que é difícil imaginar. Mas esta foi a realidade.

Como resultado desta política atabalhoada, gananciosa e interesseira, o grande perdedor foi o Povo.

É o povo o grande perdedor e o grande sofredor porque teima em não estudar, em não se cultivar e se masturba a coscuvilhar e a invejar os outros sem compreender a razão porque o faz.

Como não estuda não compreende o que acontece. Qualquer demagogo o engana.

Nas greves e no enfrentamento com as Forças Armadas, o único que perdeu foi sempre o povo. Quando, desesperado reagiu fê-lo contra as pessoas erradas e a mando de militares e políticos.

Foi o que aconteceu quando matou Sidónio Pais que ao povo deu tudo. O mesmo sucedeu com Machado Santos, o obreiro da Primeira República, ou António Granjo, Primeiro-Ministro, ou o Comandante Carlos da Maia, ou o Coronel Botelho de Vasconcelos.

Portugal desceu ao patamar dos países falhados, mas onde os políticos e militares, de uma pseudodemocracia fizeram a sua fortuna manchada com o sangue do povo ingénuo, e da pouca-vergonha, cujos descendentes pretendem esconder, mas que a história não esquece porque existem documentos que os fidelizam.

Nota: além da documentação, desta época. Para verificar a veracidade dos relatos, tem disponível o jornal “Diário de Notícias” e as hemerotecas onde encontra todos os jornais informativos desse tempo. Comece pela da Câmara Municipal de Lisboa: hemerotecadigital.cm-lisboa.pt

C.S

publicado por regalias às 09:29
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Fascismo sem fascistas e ...

. Cunhal teve ideias premon...

. António Ferro, como era d...

. Deputados palhaços ou Dep...

. Quanto tens, quanto vales

. Incompetência ou falta de...

. Isto não é um mundo de ge...

. Esplendor de Portugal atr...

. Catalunha é mais poderosa...

. No País dos loucos salvem...

.arquivos

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds