Sábado, 27 de Outubro de 2018

Portus cale substituiu Sarilhos Grandes

Muitos séculos antes de Portugal ser gente e se chamar Portus Cale, o torrão que hoje pisamos chamava-se Sarilhos Grandes.

Os vagabundos do povoado, que não passavam de algumas centenas, nunca se entenderam.

Romanos e Cartagineses que no século III por aqui se desunhavam para se matar uns aos outros e submeterem os insubmissos Lusitanos, tiveram sempre um grande problema para arranjar um lugar de gente sensata.

Castro ou Costa de seu nome, general Romano que nas suas andanças tinha passado pela região do Montijo e provado as saborosas enguias de Sarilhos Grandes, achou que para contentar aquela gente do norte, submetida às indecisões do Sul, nada melhor de que a Cale se devia dar mais importância.

Como estava na foz do Douro, por que não chamar a Cale, Portus Cale, Porto quente, Portugal quentíssimo, e assim calar gente que não parava de fazer asneiras, sem se saber governar nem se deixar governar.

Foi assim, imagino eu, que esta desgraça em que nos encontramos começou.

Em tempos, os de baixo já tinham prometido aos de cima enviar-lhes o SNS, chamado na altura, SNQO, serviço nacional de quebra ossos, mas ficaram-se só pelas promessas.

Os séculos passaram tão depressa, que estamos no tempo atual e com um problema, mais um, de grande simplicidade:

Armas de Tancos, Costas e azarados políticos, militares e trapaceiros que desde a chegada de Cunhal, com a política “Patriótica e de Esquerda”, sempre se têm esforçado por esfarelar um país que tinha o nome certo: Sarilhos Grandes.

Como vamos sair do imbróglio?

Estas armas nunca saíram de Tancos?

Ou são a fonte que começou com a bênção do comunista Vasco Gonçalves conluiado com o sabujo Cunhal cujas declarações a Oriana Fallaci eram o sinal evidente que a revolução só terminaria quando o PC vencesse?

Como o projeto não teve sucesso passaram a desaparecer armas dos paióis através das mãos e sob a direção de graduados comunistas.

O capitão Álvaro Fernandes, oficial do COPCON, só de uma vez desviou mil metralhadores G3. O saque continuou e, não foi por falta de armas que a Guerra Civil não se consumou. Foi por falta de tomates de Cunhal e dos seus capangas.

Edmundo Pedro lamentava-se que tinha sido o único a pagar as favas.

Culpava o Cunhal e militares de alta patente por serem inconscientes.

Segundo a voz corrente, as vendas do material bélico têm sustentado quadrilhas e terroristas em países africanos.

Marcelo, o padrinho do Costa, coça a cabeça.

O português deixou de rir. Está apático. 44 anos de bandalheira, elogiada pela Comunicação Social, perdeu sentido. Todos esperam que um tufão de nível 7 limpe toda a porcaria acumulada.

Salva-se Sarilhos Grandes onde se trabalha de manhã à noite e se come divinamente.

 

Anterior “O milagre económico brasileiro e as tentações”

C.S

publicado por regalias às 06:09
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Portugueses no Mundo, ama...

. Dois milhões e seiscentos...

. Portugal, país de atrasad...

. LGBT nas escolas e prosti...

. Lésbicas e lésbicos têm d...

. Sociais-fascistas do BE e...

. Exércitos perdidos no tem...

. Auditem-se Forças Armadas...

. Maldade é própria dos fru...

. Portugal, país do poucoch...

.arquivos

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds