Sábado, 28 de Fevereiro de 2015

Proibido ser honesto e defender Portugal

Os portugueses são um povo muito complicado. Mesmo passando mal e queixando-se da situação dramática em que vivem arranjam sempre uma desculpa para aqueles que querem desculpar mesmo não sabendo por que o fazem e não ganhando nada com o assunto.

Quando António Costa, que eu sempre tenho criticado com acinte neste blogue, defendeu a melhoria da situação em Portugal apesar das dificuldades que ainda mais quatro quintos da população portuguesa está a passar, levantou-se imediatamente um coro de camaradas a recriminá-lo, tendo mesmo um deles prometido desfiliar-se do PS por se sentir envergonhado do Costa, que por uma vez procedeu bem e a favor de Portugal. Costa vê na contestação goradas as suas intenções de poder cativar uma potência estrangeira que trabalha, não se mete em confusões e investe acreditando em Portugal e nos portugueses.

O desfiliante pertence à casa do Soares que o Rui Mateus, camarada dos Barrosos e dos Soares, desmontou sem dó nem piedade, nos "Contos Proibidos" e o tráfico de influências.

Ao Soares Portugal deve muito do estado miserável em que se encontra. O Barroso nunca sentiu vergonha. Sente banha.

Arvorando a bandeira da Democracia, Soares é louvado pelos papalvos e pelos videirinhos que se encheram de dinheiro à conta de lhe baterem palmas e de louvaminharem o filho do padre Soares cujas homílias nunca deram de comer a ninguém, mas ficam no ouvido dos ignorantes e dos ocupantes de Governos e de Parlamentos.

Comparem os Governos democráticos dos Estados Unidos da América e da Inglaterra com a Democracia começada em Portugal em 1933 com a Constituição portuguesa e verificarão que Portugal sempre foi um país democrático, unicamente governado a favor de todos os Portugueses entre os anos de 1928 e 1974. Depois da Abrilada, o Cunhal, o Soares, o Vasco Gonçalves e toda a camarilha, de alguns milhares, comeram as papas na cabeça ao povo. Os outros seis ou sete dezenas de milhares que se juntaram a eles desgovernaram governando-se e fingindo que governavam.

Daqueles 600 portugueses que esconderam centenas de milhões de euros no banco HSBC na Suíça faltam os tais dezenas de milhares que têm as suas colossais fortunas guardadas por testas-de-ferro, gente em Portugal e em outros países.

O dinheiro e o ouro que Portugal possuía quando da falhada Revolução do 25 de Abril, mais os biliões de euros vindos da União Europeia foram gastos onde e de que maneira? A resposta é óbvia. Muitíssimos se abotoaram com o dinheiro e nada justifica a situação onde caímos.

Por uma vez estou com António Costa. É preciso acabar com a proibição de ser honesto e de defender Portugal. Se conseguir isso, mesmo que tenha de fazer uma rotação de 360 graus, não hesite porque este povo ficou taralhouco depois de ter sido encharcado com quarenta anos de voraz e sórdida demagogia.

C.S

publicado por regalias às 06:27
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

. Portugal, políticos, poli...

. Portugal nas mãos de Cost...

. Cavaco e os pindéricos co...

. Legislativas foram uma de...

. Diarreia mental de batráq...

. Votação, Câmaras, competê...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds