Sábado, 28 de Abril de 2018

Salazar, exemplo de inteligência, trabalho, honestidade

Oliveira Salazar nasceu em 28 de Abril de 1889 em Vimieiro, a três quilómetros de Santa Comba Dão.

De família com grandes dificuldades económicas, ele próprio o diz numa das suas célebres frases: “agradeço a Deus ter nascido pobre”. Com ela dizia aos milhões de miseráveis que tinham saído da Primeira República e que vagueavam pelo País de mão estendida à caridade, que a pobreza não era um estado permanente; era algo transitório que todos podiam modificar com trabalho, inteligência, vontade de mudar e honestidade.

Depois da Revolução do  28 de Maio de 1926 foi chamado, pela Ditadura Militar, a tomar conta da Pasta das Finanças. Depois de alguns dias a estudar os assuntos de Governo impôs condições, que os Militares não aceitaram. Regressou a Coimbra onde era Professor Universitário.

Passados dois anos, em 1928; chamado, de novo, pela Ditadura Militar, que está à beira da Bancarrota, ele impõe a sua Ditadura Financeira para salvar Portugal da miséria e os Portugueses da fome. Para conseguir o objetivo, impede que haja aumento de despesas ou diminuição de receitas.

Para uma recuperação completa do País, Salazar sabe que primeiro teria de haver um Equilíbrio Orçamental e um Equilíbrio Financeiro, seguido do Equilíbrio Social e, finalmente, o Equilíbrio Político.

A sua estratégia passou por equilibrar o regime e só depois pensou na política externa.

A Ditadura Militar fica-lhe tão agradecida pelos resultados, que em Maio de 1932 lhe atribui as insígnias da Grão-Cruz de Torre Espada, nunca antes atribuída a um civil. A 5 de Julho de 1932 é convidado para Presidente do Conselho (Primeiro-Ministro).

No ano seguinte sai a Constituição de 1933, que no artigo 8º garante a todos os cidadãos Direitos e liberdades. A Ditadura Militar passa constucionalmente a Estado Novo.

Em 1936 a Guerra Civil de Espanha vem complicar o ressurgimento do País. Até 1939 Portugal divide com o país vizinho o pouco que tem. Acabada esta sangrenta guerra, começa imediatamente outra, muito mais feroz e obscena, a Segunda Grande Guerra, entre 1939-1945. Portugal recebe nesse período dezenas de milhares de refugiados, a grande maioria Judeus, com quem tem de repartir tudo.

Portugal, para ajudar os outros, sujeita-se a viver com senhas de racionamento. Isso é admirado por todos os países em Guerra.

A Universidade de Oxford distingue-o com o Grau de Doutor Honoris Causa. Presidentes e Reis de todo o mundo vieram a Portugal receber o seu conselho e conhecê-lo pessoalmente.Nunca o consideraram um Ditador na verdadeira aceção do termo. E não era, caso contrário, muitos anos depois do 25 de Abril, os portugueses, em Março de 2007, não o tinham escolhido como o maior Português de sempre, apesar dos ataques soezes, na Comunicação Social, de todos os oportunistas que preferem a corrupção, o roubo das herdades, o fecho das empresas, os milhares de prisões e os assassinatos cometidos pela seita dirigida pelo ex-comandante do COPCON.

O Estado Novo pode ficar como exemplo de verdadeira Democracia: havia liberdade, ordem, segurança, autoridade. A alegria do povo manifestava-se nas romarias, nos bailes, nos clubes, nas Casas do Povo. Os teatros enchiam-se. O País respirava progresso, bem-estar; mas tal como em todos os países há sempre alguns descontentes.

Tudo isto pode ser verificado. Tem sido a mentira continuada que arrastou Portugal para o lameiro em que se encontra.

Marcello Caetano, um democrata dos tempos modernos abriu-lhes as portas, permitiu a Revolução, pensou que os novos dirigentes trariam uma nova lufada de ar fresco. O resultado foi desastroso. Quarenta e quatro anos depois existem 26% dos portugueses a viver na miséria, e 50% numa triste mediania.

A esperança está em António Costa, Marcelo Rebelo de Sousa, Mário Centeno e Rui Rio.

Termino parafraseando Camões no soneto “Alma minha”. Também direi a Salazar no dia dos seus anos: “se lá no assento etéreo tudo pode e tudo sabe”, dê uma mãozinha a este louco e maravilhoso povo que só o Professor Oliveira Salazar entendeu.

 

Anterior “Rússia-China unidas para evitar a terceira Guerra Mundial”

C.S

publicado por regalias às 07:27
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
14
15

16

24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. Atenção à comida e à frut...

. Taxistas dão tiros na int...

. Portugalex cede à ignorân...

. Grevistas da saúde, aliad...

. Parvalheira racista domin...

. Antena1, "Conversa Capita...

. Refugiados, solidariedade...

. Falar menos, produzir mai...

. Trump enganado por Ingles...

. Estivadores grevistas e o...

.arquivos

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds