Sexta-feira, 20 de Março de 2020

Sou da antiga guarda, mas fã das novas tecnologias

Sou do tempo em que o padre e o médico, quanto mais longe melhor. Sou do tempo do mata-bicho e do Beber vinho dá de comer a um milhão de portugueses.

Sou do tempo em que lavar as mãos e cortar as unhas, bem rente, era uma das regras na Escola Primária.

Estas pequenas normas foram a salvação de Portugal que tinha saído de uma Primeira República, 1910-1926, onde o papel higiénico corrente, era o papel de jornal ou um calhau no meio dos campos, pouco cultivados e ao abandono. Com tanta miséria, piolhos, lêndeas, percevejos, sujidade acompanhada da varíola, sarampo, lombrigas, a Ditadura Militar não se entendeu. Foi chamado Salazar em 1928 que imediatamente aconselhou o Presidente do Conselho (Primeiro-Ministro) a matar a fome a uma população desesperada, enquanto ele punha as contas em dia, fundamentais para a recuperação do País

As sobras do rancho dos quartéis passam a alimentar milhares de famílias, que ali tinham a sua única e fraca refeição.

Todos, ricos e pobres, eram obrigados a poupar para ajudar aqueles que nada tinham. Daí a frase espalhada por todo o País “Trabalhar e poupar manda Salazar”. O Ministro das Finanças, pela sua inteligência e honestidade, rapidamente se impôs a todo o Governo; em 1932 é convidado para Presidente do Conselho. A recuperação é acelerada. As colónias agrícolas espalham-se pelo País. A colónia agrícola de Pegões é um exemplo fabuloso.

Na escola, além do “Deus, Pátria e família” para unir todos os portugueses, havia outros quadros para lembrar à juventude que “Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer.”

O Professor era o exemplo, o mestre e o juiz sem horas. Palavra de professor era sagrada e acatada.

Hoje, os tempos são bem diferentes. As novas tecnologias revolucionaram o mundo. Mas cada um faz o que quer e ainda lhe sobra tempo. O Corona, também conhecido por Covid-19, aproveitou as facilidades.

A confusão entre os humanos continua. Mandam-se os velhos para casa e deixam-se os novos ao molho e em recintos fechados onde convivem com os perdigotos uns dos outros.

O caso mais caricato é o dos maquinistas com doenças, como a diabetes, o cancro etc, considerados de alto risco e que o código 70/83 os coloca no vermelho; pois são obrigados a estar em salas de convívio em vez de ficarem em casa, livres de espirros, gotículas verbais e naturalmente possam ser chamados em caso de urgência.

O excesso de zelo é altamente perigoso.

Ao medo do Corona junta-se o medo de decidir bem, a que António Costa tem de acudir para apagar fogos por todo o lado.

Governante sofre, mas ganha respeito e admiração.

 

Anterior “Trate o Corona com determinação e sem medo”

C.S

publicado por regalias às 06:56
link | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Os mais vulneráveis não e...

. Recuperar o tempo perdido...

. O vírus e os os micróbios...

. Antes de se deitar dê uma...

. Um país inteiro envergonh...

. Vivemos num mundo de palh...

. A 9 de Abril de 1918 morr...

. Anarquia ou Democracia fo...

. Oiça o Portugalex e deixe...

. Cangalheiros continuam a ...

.arquivos

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub