Sábado, 31 de Outubro de 2015

Viemos ao mundo comprar um fato. Não levamos mais nada

Ao ler Francisco Ferreira da Silva no “Diário Económico” de ontem e ao meditar na sua consternação: “Portugal continua a ter um défice de dirigentes preparados e esclarecidos que ponham os interesses do país acima dos seus próprios interesses ou dos grupos onde se inserem. É a falta de elites dirigentes de que há muito se fala”, não resisto ao reparo.

Nunca Portugal teve falta de dirigentes preparados e esclarecidos desde os tempos do Dr. Oliveira Salazar. Mas este contou com verdadeiros portugueses que puseram a ideologia de parte e os seus interesses pessoais. Ganhavam ridicularias, de que o Primeiro-Ministro era o exemplo e nunca reclamaram mais porque o País necessitava da solidariedade de todos para levantar Portugal do caos e da miséria em que a Primeira República o tinha deixado.

Com Marcello Caetano também não faltavam dirigentes preparados e esclarecidos, mas que não largaram os seus interesses para servir Portugal.

Numa carta que me dirigiu em II.XI.78 e que publiquei num livro sobre Intervenções Parlamentares, que está esgotado, mas pode ser lido em www.cunhasimoes.net e clicar em intervenções, Marcello Caetano é claro “recusa de colaboração de Adversários ou de reticentes, egoísmo dos capitalistas…” O interesse sobrepôs-se logo que o País ganhou pujança. Um emprego em qualquer empresa valia seis ou sete vezes mais do que ser Ministro, sem outro tempo e outro pensamento que não fosse para os assuntos de Estado.

Com o 25 de Abril aconteceu e está a acontecer pior, a quantidade de pessoas preparadas e esclarecidas é muito maior, mas os interesses tanto dos esquerdistas como dos direitistas, com raras exceções, foi sempre o interesse de cada um.

Em 2005 publiquei o livro “ Portugal, um país ingovernável” que está esgotado, onde saliento um dos homens mais inteligentes que conheci.Ele preferiu fazer subir o Soares, escrever leis e ter outros interesses do que defender realmente Portugal. Este é um caso, mas se fosse obrigado a dizer todos quantos conheço, assinalaria uns bons quarenta, da Esquerda e da Direita, cujo interesse se sobrepôs ao melhor que podiam ter feito por Portugal.

Nesta pepineira em que Portugal está envolvido, no momento em que um inteligente amotina uma chusma de imprudentes é difícil estar sossegado e confiante. É Portugal que está em jogo. Até já imaginei uma lista de gente confiável que em união pudesse tomar conta do País.

Como a Constituição está feita para impedir tudo, só me resta lembrar aos ambiciosos e aos gananciosos, apressados em meter as mãos nos cofres cheios da dívida, que filhos, netos e trinetos têm para pagar, que o pecúlio que cada um abocanha neste mundo não serve para nada.

Entrámos, no mundo, nus, viemos comprar um fatito e não levamos nada do que entesourámos à custa das dificuldades de milhares de vítimas das ambições de incoerentes que prometem o que sabem que não podem dar, porque não existe.

 

Anterior “A Democracia comunista é de engano e libertinagem”

C.S

publicado por regalias às 07:29
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. O ser humano comete erros...

. Não deixem morrer a exper...

. Direita e Esquerda domina...

. Aproveitem a ocasião: ins...

. Portugal, políticos, poli...

. Portugal nas mãos de Cost...

. Cavaco e os pindéricos co...

. Legislativas foram uma de...

. Diarreia mental de batráq...

. Votação, Câmaras, competê...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds